11.10.2018

*

A competição entre duas estratégias de propaganda eleitoral é tempo perdido. Nenhum eleitor do Bolsonaro passará para o Haddad e nenhum voto a mais dado ao Bolsonaro passará pelo filtro das maquininhas. O Haddad só pode ganhar pela fraude e o Bolsonaro pelo clamor popular que atemorize e paralise os fraudadores. O resto é conversa mole.

Propaganda eleitoral é luta de imagens, e essa luta JÁ ESTÁ DECIDIDA. Quanto mais tentarem sujar a imagem do Bolsonaro, mais o povo há de apoiá-lo, pois a tudo o que se sabe dos crimes do PT soma-se agora o crime dos crimes, a tentativa de ludibriar de uma só vez uma nação inteira. Imagem por imagem, a do Bolsonaro já venceu, e a outra está tão suja e degradada que nem todo o dinheiro do mundo poderá salvá-la.
Não é nesse campo que a disputa se decidirá.
A luta decisiva é: deixaremos o criminoso consumar o crime ou vamos paralisá-lo antes disso?
O Zé Dirceu tem razão: Não se trata de uma disputa eleitoral.

O Raul Jungmann, como os peixes, se ofereceu para morrer pela boca e levar toda a camarilha com ele. Só há um problema: não cabe ao peixe a obrigação de pescá-lo.

https://youtu.be/JH4X5B5bf1U

Mensagem ao nosso Capitão e a quem quer que goste dele

Os que hoje riem das denúncias de fraude são os mesmos que ainda ontem riam de quem denunciasse o Mensalão.

Que é mais fácil, mais barato e mais viável: o Bolsonaro tentar vencer as maquininhas aumentando o número dos seus eleitores mediante um gigantesco sobre-esforço publicitário que ele não tem nem o dinheiro para pagar, ou o PT simplesmente suprimir das maquininhas os votos do Bolsonaro e mandar toda a mídia chapa-branca rir de quem fale em fraude?

Vamos DE NOVO cair no engodo da normalidade fingida, das caretas de tranquilidade olímpica na TV?

Não se trata de ganhar mais eleitores, pois o Bolsonaro já tem quase todos. Trata-se de saber QUEM MANDA NAS MAQUININHAS: O PT OU O POVO?

Da página do bravo Ênio Mainardi:

https://www.areuniao.com/single-post/2018/10/10/Acho-que-vou-ser-preso

“Então, fazer o que?… me prenda, Jungmann. Faça isso. Prenda uma, duas, cinco milhões de pessoas que não apenas acreditam – mas têm certeza fundada – de que as eleições foram manipuladas. E que suspeitam vão se repetir, no 2º turno. Mas o TSE, soberano, descarta essa possibilidade, afirmando que tudo vai bem, muito bem, bem-bem… como dizia o palhaço Arrelia.”

Frases inesquecíveis:

“Yo estaba cagando.” (Menininho espanhol contando um incêndio.)

“Mas que caralho é isso?” (Menininha brasileira representando mulher corneada.)

“Tudo puta.” (Menininho brasileiro assistindo TV Globo)

Como eu vejo as coisas: Em 2014 a Dilma jamais foi eleita presidente da República, e no entanto foi empossada e governou. Em 2018, o Bolsonaro já foi eleito e no entanto será obrigado a arriscar o seu mandato num jogo de gato-e-rato que se parece tanto com uma eleição quanto um cocô se parece com um diamante.

#meprendajungmann
#meprendajungmann
#meprendajungmann
#meprendajungmann
#meprendajungmann
#meprendajungmann
#meprendajungmann
#meprendajungmann
#meprendajungmann 

Comentário realista:

O que cai com a ascensão do Bolsonaro:
1) Todo o esquema de poder construído pelo PT e seus associados ao longo de cinquenta anos.
2) O centro motor e financiador de todo o movimento comunista latino-americano. Portanto, o Foro de S. Paulo com as duzentas organizações que o compõem.
3) Os planos internacionais de eliminação da soberania nacional brasileira e de subgjugação do país ao esquema globalista.
4) Milhares de carreiras e biografias de politicos, intelectuais e artistas de esquerda.
5) Todo o poder impune do narcotráfico e do crime organizado em geral.
6) Todas as grandes empresas de mídia.
7) Toda a constelação de prestigios do show busness.
8) Todo o sistema de poder instalado nas universidades e no sistema de ensino em geral.

A queda de tudo isso é imediata e automática no dia mesmo da posse de Bolsonaro. Ademais, o famoso “Gigante Adormecido”, o povo brasileiro, acordou e não há soporífero capaz de faze-lo voltar a dormir. É um novo poder soberano decidido a subjugar ou anular todos os outros.

Por tudo isso, é óbvio, é patente e inegável que os representantes do atual esquema de poder não podem aceitar uma derrota de maneira alguma, porque não sera só uma derrota, sera a sua total destruição enquanto grupos, enquanto organizações e até enquanto indivíduos.

Eles não estão lutando pelo poder nem para vencer uma eleição, estão lutando pela sua sobrevivência política, social, econômica e até física. É inconcebível que, nessas condições, não lutem com a fúria de milhares de leões feridos, apelando a todos os recursos lícitos e ilícitos, morais e imorais, para obter não só a vitória a todo preço, mas, se possível, a redução do povo à total inermidade.

Que sentido faz essa conversa de “a divisão de esquerda e direita está superada” num momento em que a esquerda tenta matar o candidato da direita, promove uma campanha mundial de assassinato da sua reputação, encena farsa em cima de farsa para dar a ele feições demoníacas e ameaça perseguir os eleitores que tentem protegê-lo contra a possibilidade — mais que realista — de fraude eleitoral?
Estão todos loucos neste país?

A compulsão psicótica de fingir normalidade democrática já nos tornou cegos até mesmo ante a violência homicida e a ameaça totalitária de proibir e punir as queixas? No meio do caos, do sofrimento e da saraivada de mentiras, teremos — como diz o Ênio Mainardi — de ficar como o célebre palhaço Arrelia repetindo que tudo vai bem, muito bem bem bem?

NUNCA teremos democracia nenhuma se continuarmos fingindo que já temos uma.

Tentam matar o adversário e depois ainda ofendem a honra da vítima, chamando de covardia as precauções médicas da sua convalescença.
Deus me livre e guarde de tratar esses celerados com delicadeza e cavalheirismo.

TUDO, na conduta dos próceres petistas e seus associados revela a mentalidade criminosa, psicopática, totalmente desprovida de escrúpulos.

A petezada que tentou boicotar o sucesso do filme do cineasta pernambucano Josias Teófilo, “O Jardim das Aflições”, decidiu atacar agora o “Bonifácio” de Mauro Ventura. Como, de fato, esses tarados poderiam suportar uma homenagem ao fundador do país que eles odeiam?

Nunca peçam providências a uma autoridade em que vocês não confiam. Tomem providências CONTRA ela.
Quem se sente desencorajado porque as autoridades esculacham as denúncias de fraude em vez de averiguá-las só mostra um espírito servil que desonra o povo em vez de representá-lo.
A única coisa que se pode esperar dessas autoridades é que vão para a cadeia o mais breve possível.

O sonho declarado do Haddad é a derrubada da moral burguesa e a instituição do que ele chama “sociedade erótica”, na linha definida pelo Max Horkheimer no ensaio “Autoridade e Família” de 1936. Um dos traços da sociedade que deverá substituir a atual é a introdução do elemento ERÓTICO-SENSUAL nas relações entre mãe e filho. Diz Horkheimer:

“A monogamia na sociedade masculina burguesa pressupõe a desvalorização do prazer oriundo da mera sensualidade. Por isso, não só a vida sexual dos esposos é envolta em mistério perante as crianças, mas de todo o carinho dispensado à mãe pelo filho tem de ser banido estritamente qualquer elemento sensual.”

Se o Haddad quer destruir a família burguesa e, seguindo a fórmula do Horkheimer, reintroduzir nas relações entre mãe e filho o elemento erótico-sensual que a sociedade burguesa proibiu, eu gostaria de perguntar a ele se está propondo uma coisa que ele nunca viu ou se ao contrário, ele já testou as relações familiares horkheimianas na sua vida pessoal.

Não me espanta que esse adepto de uma estupidez chamada “sociedade erótica”, que ele jamais conseguiiria explicar que merda é, tenha escolhido como modelo e mestre o velho cultor do sexo com cabritas. Afinal, a sociedade erótica não poderia excluir da “livre circulação do prazer” os animais de outras espécies. Seria uma discriminação odiosa.

Vocês já entenderam que o Haddad é, como o Lula, um tipo de Bonobo?

Max Horkheimer, o igualitarista que pagava salários de fome aos seus empregados enquanto ele se deleitava no bem-bom, ficou muito revoltado com a sociedade burguesa porque ela não o deixou comer a mãe.
O Haddad não poderia ter encontrado um espírito-guia mais apropriado.

Os comunistas não se incomodam de perder processos. Sabem que um processo tem um alcance político que vai infinitamente além do campo judicial. A direita, com a mente aleijada pelo formalismo burguês, não enxerga isso.

Os bolsonaristas parecem ainda não ter percebido que o Raul Jungmann é a solução de todos os seus problemas.

Mirem-se no exemplo do Arruinaldo Azevedo: falar em “estabilidade das nossas instituições democráticas” é o começo do fim.

Depois da tirada do Raul Jungmann, que mais o pessoal precisa para entender que NÃO TEMOS instituições democráticas?

Democracia, o caralho. Que controle o povo tem sobre a apuração dos seus votos?

Tente saber o que fizeram com o seu voto, e o Raul Jungmann põe você na cadeia.

Não fiquem tristes: na democracia lulo-hadádica, todo mundo terá o direito de enrabar umas cabritinhas.

“Tratar Haddad e Bolsonaro como equivalentes é injusto.
A democracia não é defendida com posição passiva nem com enganosa neutralidade.” Se o sujeito diz isso em favor do Bolsonaro, ele é um nazista, um inimigo da humanidade. Mas se diz a mesma coisa em favor do Haddad, como acaba de fazer o Jânio de Freitas na Fôia, ele é um valoroso defensor da democracia. Já entenderam o que é guerra assimétrica, direitistas de merda?

Esquerda e direita não são discursos ideológicos estáveis, são símbolos de união grupal. Basta que duas pessoas se digam de direita ou de esquerda para que automaticamente essas facções passem a existir. Entendeu, general Heleno?

Acordem, porra. Uma estratégia jurídico-policial (em vez de eleitoral-mercadológica) é URGENTE. E AINDA MAIS URGENTE A MOBILIZAÇÃO POPULAR EM FAVOR DELA.
O resto é só camisinha colorida no pau do PT.

O problema é o seguinte: há mais pessoas dispostas a morrer pelo Fernando Haddad do que por Jesus Cristo,

No país onde o dever máximo do cidadão é ser um cagão convicto, coragem é nazismo.

Todas os crimes e maldades que se atribuem ao Bolsonaro são hipóteses futuras. Os do Haddad são um vasto currículo escorado em documentos oficiais.

Subindo ao poder com 32 crimes nas costas, o Haddad será o presidente MAIS IMPICHÁVEL de todos os tempos. Ele se candidatou só a título de camisinha da Manuela Dávila.

Se vocês ainda não perceberam, talvez ainda esteja em tempo: Suruba é sociedade secreta. Você entra, mas não sai nunca mais.

Agradeço a dica ao Fabio L. Leite:

Professor, uma pesquisa confirmou o que o senhor já tinha descrito: a ideologia progressista é característica das elites milionárias e não do povo ou mesmo de minorias. A turma serve a quem pensa estar combatendo.

 

O novo visual do É-Dado. Parasita até no vestuário.

43683409_10156640052637192_6489492599806623744_n

Nada de cavalheirismo ao falar de bandidos. Chega de auto-intoxicação paralisante.

Depois do maior caso de corrupção empresarial na história do planeta, o PT está praticando A MAIOR FRAUDE ELEITORAL DA HISTÓRIA DAS GALÁXIAS.

Todos aqueles que se elegeram deputados ou senadores na crista da onda bolsonarista têm A ESTRITA OBRIGAÇÃO MORAL de erguer-se contra a fraude eleitoral que ameça roubar a vitória do seu líder e benfeitor. Lembrem-se: A INGRATIDÃO A UM BENFEITOR É UM DOS CINCO “PECADOS QUE BRADAM AOS CÉUS”.

Mudar a fachada e fazer cara de bonzinho não dará um só voto ao É-Dado, e ele sabe disso. A maquiagem toda só se destina a preparar o terreno para dar ares de credibilidade a uma vitória fraudulenta obtida nas maquininhas.

Quem faz o mais, faz o menos. Quem é capaz de mandar um piçolista alucinado esfaquear um candidato presidencial, por que não o seria de mandar um outro rabiscar uma suástica nas costas de uma dona para dar a impressão de um surto de violência nazista e lançar a culpa na direita?

43704662_10156640231792192_7527886254550024192_n

Por que, colocado sob os cuidados de um delegado petista, o esfaqueador do Bolsonaro desapareceu do noticiário, substituído por pseudo-esfaqueadores nazistas?

Não há truque sujo, não há sordidez, não há crime a que o PT não esteja apelando na votação mais farsesca de todos os tempos. Tratar o Hadad como candidato legítimo é consentir em ser feito de palhaço.

Propaganda é perda de tempo. Quem votou no Bolsonaro jamais votará no É-Dado, e vice-versa. Só quem pode mudar de opinião são as maquininhas.

Olhe aqui, ô Jungmann, fake news é essa história da suástica nas costas da moça. Você nunca vai admitir isso porque você mesmo é, de corpo e alma, um fake news.

Alguém observou, com acerto: depois de roubar tudo o que podia, o PT roubou até as cores da campanha adversária.

É uma pena que não lembro onde guardei a minha carteira de jornalista. Está na hora de mandar o presidente do Sindicato enfiá-la no cu.

Bispos da CNBB, afinal vocês estão contra as fraudes eleitorais ou contra quem as denuncie?
Eu sei a resposta, estou perguntando só para torrar os seus saquinhos.

Apostar na mera disputa de votos por meio da propaganda é apostar que não vai haver fraude. É apostar o futuro do Bolsonaro na honradez e bondade dos que tentaram matá-lo.

Leio no “Crítica Nacional:

“As pessoas que podem efetivamente fazer algo diante desse cenário de fraude não estão paradas. Desde a divulgação do resultado do primeiro turno tem havido uma intensa movimentação de pessoas com capacidade de decisão e de implementação de ações no sentido de mitigar esse problema.
b) Estão sendo tomadas medidas no sentido de orientar os eleitores sobre como garantir que seu voto seja corretamente registrado na eleição no segundo turno. Nos próximos dias serão divulgados materiais de orientação nesse sentido.
c) Uma força-tarefa está sendo preparada para uma efetiva apuração e fiscalização paralelas, que serão feitas em tempo real na dia da votação do segundo turno. Também nos próximos dias serão divulgados os detalhes a respeito.”

Tudo isso já foi dito no primeiro turno. Fugindo de punir a fraude já realizada e concentrando-se em tentar “mitigar” os efeitos da fraude vindoura, aliás mediante os mesmos artifícios que já provaram sua total impotência, que é que a campanha do Bolsonaro espera obter?

Não digo que essa orientação levará necessariamente à derrota, mas com certeza ela não é nem a mais prudente nem a mais sábia.

Ainda há brasileiros inteligentes:

https://www.facebook.com/adao.paiani.90/videos/169560593992273/

O futuro do Brasil depende de simples cidadãos corajosos, lúcidos e independentes como Adão Paiani. A situação atual é complexa e escorregadia demais para que quaisquer organizações ou o coro dos seus representantes possam compreendê-la em tempo. Como sempre, A CONSCIÊNCIA INDIVIDUAL É O FATOR DECISIVO.

Sem punir a fraude que já aconteceu, tentar “mitigar” a próxima é esquecer que, por definição, cu só se arromba uma vez.

Comunista só sabe fazer duas coisas: matar e roubar. A primeira falhou, a segunda está em andamento.

Anúncios