Best seller

Olavo de Carvalho com seu bestseller “O Imbecil coletivo”, da Record, ocupa o 1° lugar na lista dos livros mais vendidos da Revista VEJA! Viva!
PS:Já não dá pra esconder, nenão?

42743433_2045647032164938_7202900098034958336_n.jpg

Anúncios

29.9.2018

 

Nunca vi uma cantora lírica sintetizar tão maravilhosamamente os aspectos contraditórios da Carmen de Bizet: sensualidade e maldade, sonhos de amor e frieza moral. Grande Denyce Graves!

A Habanera não é para ter leveza nenhuma. Tem uma sensualidade de superfície sobre um fundo sinistro que anuncia o destino do pobre soldado. “O amor não tem lei” = foda-se o apaixonado.

Mudando de assunto: Meu problema com o Yago Martins nunca foi “divergência de idéias”, divergência religiosa ou coisa parecida. Foi apenas que ELE NÃO SABE LER e que portanto toda discussão com ele é impossível. Partindo da constatação de que quem recebe a Eucaristia sem fé está recebendo sua própria danação, ele raciocina: “Então como é que a Ceia pode ser o único meio para a salvação? ALGUM FATOR ANTERIOR A ISSO PRECISA SER ESSE MEIO. E a Escritura declara com muita clareza que meio é esse, que é a fé em Cristo Jesus.”
Erro evidente de leitura. Que pode ser a fé em Jesus Cristo senão a fé na promessa de que quem comer da Sua carne e beber do Seu sangue terá a vida eterna, isto é, a fé no poder salvador da Eucaristia?
O hominho vê a fé como o “fator anterior”, superior e soberano, que DETERMINA a eficácia da Eucaristia, mas, se fosse assim, a Eucaristia recebida sem fé seria apenas ineficaz, inócua. Se, ao contrário, a Eucaristia recebida sem fé produz a danação, é porque a Eucaristia é eficaz em si mesma, independentemente da fé — e a fé ou falta de fé determinam apenas a direção positiva ou negativa do efeito.
Jesus NUNCA disse que o pão e o vinho seriam Seu Corpo e Seu Sangue SE os fiéis tivessem fé nisso.
Se fôssemos seguir o raciocínio do Yago, todo o poder da Eucaristia emanaria de uma decisão humana. É claro que ele não percebe essa conclusão implícita mas inevitável do seu argumento, o que prova que ele não apenas não entende o que digo ou o que lê na Bíblia, mas não se entende nem a si mesmo.

Desconfio que o Arruinaldo ficou assim porque andou lendo muito Yago Martins.

Momentos inesquecíveis.
Grande decepção amorosa. Foi mais de quarenta anos atrás. Eu estava apaixonado por uma moça linda e inteligentíssima, neta de um Prêmio Nobel de Literatura (não posso dizer o nome). Ela furou o balão do meu entusiasmo com esta declaração mortífera:
— Não vai funcionar. Eu só gosto de garotões de praia — daqueles bem burros.

42864466_10156612456532192_5625375351996678144_n

A VINGANÇA DOS BOLSOMINIONS
(Mensagem do José Mário Pereira.)

42864425_10156612467582192_2631551562048077824_n

A Roxane, tecendo considerações sobre o passado:
— Então pedi a Deus que me desse exatamente o homem de que eu precisava e que eu fosse exatamente a mulher de que esse homem precisava.
Não resisti a colocar o casamentp em risco para não perder a piada:
— A primeira parte deu certo.
Estou fugindo do pau-de-macarrão até agora.

Os semelhantes se atraem:

https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,pt-e-pc-do-b-assinam-apoio-a-regime-de-nicolas-maduro,70001900099

 

27.9.2018

Da página da Tiffany Rene de Carvalho:
My amazing, ingenious, optimistic, incredibly wise, fantastic, generous and loving superhero parent in-laws. Love you guys so much! 😘😘

Davi Marciglio É comum os filósofos casarem bem assim, professor?
Olavo de Carvalho Não sei. Nunca me casei com um.
*
O Dirceu está atrasado. Pelo controle que exerce sobre a mídia, o show business, as escolas, o judiciário e as classes chiques, é evidente que o PT JÁ TOMOU o poder. A novidade, agora, é que vai perdê-lo.
O único petista honesto é o Zé Dirceu: Ele confessa abertamente que quer por no nosso cu.
*
Andrius Novaes está com Olavo de Carvalho.

Confesso que não tinha ideia que o COF poderia me fornecer tanto conhecimento como está acontecendo, nas primeiras aulas fiquei assustado, pois pela primeira vez eu estou no caminho correto para compreender a realidade que me cerca.

Obrigado por existir professor Olavo de Carvalho, pretendo com muito esforço seguir um caminho parecido no futuro, Deus te abençoe!.

#OlavoTemRazão!

42563269_238414813687637_1272748656918790144_n

Não acredito que essa capa escandalosa da Veja renda um só voto para o É-Dado.

Atenção, irmãos cachimbeiros: Acabo de autorizar a entrada de mais três marcas na minha coleção: Rattray (Escócia), Butz-Choquin (França) e Mastro de Paja (Itália).

Nunca fui grande admirador do general de Gaulle, mas uma coisa tenho de reconhecer: um presidente que atravessa vários mandatos, uma guerra e inumeráveis crises tendo uma guarda de segurança composta de apenas quatro pessoas é um homem de quatro bolas.

Vejam só que coisinhas fofas:

42677897_10156607876777192_6269013584697622528_n.jpg

A Veja desceu infinitamente abaixo daquilo que nos velhos tempos se chamava “jornalismo marrom”. Cocô é marrom, mas não é jornalismo.

Entre os anos 70-80, o primeiro resultado da invasão das redações por egressos das faculdades de jornalismo foi que todas as matérias começaram a ter de ser reescritas no copy-desk. Naquele tempo já dava para prever que, no dia em que todos os empregos na redação fossem preenchidos por esses tipinhos, já não existiria mais jornalismo.

Piçol é o Viagra do passaralho

Em prol da beleza visual forçada, os títulos foram cada vez mais diminuindo de tamanho, até que finalmente, no dia em que um gênio da arte gráfica me encomendou um título com duas linhas de cinco sinais, eu me vinguei:
NO CU
PIRU!

O tom obrigatório de cada “formador de opinião” na grande mídia é: “Vejam como sou nobre. Vejam como sou sempre um paladino do bem, da democracia e dos direitos humanos.” Esses caras tocam punheta na frente do espelho.

O Arruinaldo Azevedo agora acha que o PT é o povão e a massa antipetista é a zé-lite.

Uma primeira mudança significativa. Antigamente os diagramadores contavam os sinais (letras e espaços) das matérias e as faziam caber nas páginas. Eram gênios do improviso gráfico. A partir dos anos 70, as páginas eram desenhadas antecipadamente por gênios que nem sabiam fazer esse cálculo, e no copy-desk os infelizes redatores tinham de recortar as matérias no tamanho encomendado. Naquela época, sob o título “Disse a notícia ao editor”, fiz este haikai em homenagem aos meus chefes no Jornal da Tarde:
“Dizei-me em quantos sinais, ó senhor,
serei no vosso título espremida,
para eu poder ocorrer em seguida.”

Leandro Magalhães

NAS SOMBRAS DO PODER

Peço que compartilhem

Ao que tudo indica, o presidente do STF, ministro Toffoli, em aliança com Lewandowski, pretende pautar logo mais o recurso da defesa de Lula que revisa a prisão em segunda instância. O assunto, o qual, a princípio, seria apreciado apenas em 2019, parece colonizar algumas consciências nos bastidores da Suprema Corte. A ordem é acelerar a chicana.

A libertação do bandido Lula é a água que faltava para o moinho da campanha petista. Há algo de podre no ar. Não é de hoje que o STF insiste em produzir instabilidade jurídica (e política) no país. Tenhamos máxima atenção.

 

https://www.metapoliticabrasil.com/blog/acorda-e-luta

 

26.9.2018

 

Aprendi num vídeo de cachimbologia que há quatro tipos de cachimbeiros: o colecionador, que não para de comprar cachimbos até chegar à casa das várias centenas; o degustador de fumos, que coleciona gostos e aromas; o especialista, que faz foco num ou dois tipos específicos de cachimbos e não liga para o resto; e o utilitário, que fuma sempre o mesmo tipo de fumo em um ou dois cachimbos de estimação. Pertenço obviamente ao terceiro tipo, já que só comecei a colecionar cachimbos quando descobri as boqueiras de acrílico (lucite) marmorizadas ou coloridas, incrivelmente bonitas, e não me interesso por peças de outros tipos.

Digo por experiência, e só por experiência: é raro e bem-aventurado o cristão que lê muita Bíblia sem ficar viciado no espírito de controvérsia teológica.

Adoro o Catecismo da Igreja Católica, porque cada parágrafo dele é mais uma controvérsia de séculos que chega ao fim e da qual não precisarei saber mais nada.

— Então você se deixa guiar sem exercer o seu espírito crítico?
— Em questões que estão acima da minha capacidade, sim — e, quanto mais velho vou ficando, mais vou descobrindo que quase todas elas estão.

Estou muito feliz e até orgulhoso de ter resolvido duas ou três questões filosóficas, mas em geral ninguém imagina quantas outras questões tive de deixar de lado para poder resolvê-las.

“Um só idiota pode fazer mais perguntas do que sessenta sábios poderiam responder.” (Ditado russo)

Se Deus só deu umas poucas virtudes a cada um, não foi para que ficássemos reclamando da falta das restantes, mas para que, contemplando o conjunto dos nossos amigos, víssemos ali um estraordinário jardim de virtudes.

42611200_10156605619207192_8917722480236298240_n.jpg

O vídeo do Stephen Fry ilustra perfeitamente aquilo que sempre digo nas aulas: a pessoa normal sente medo conforme a periculosidade da ameaça, o histérico mede o grau de perigo conforme o medo que sente.

François Maspero criou uma editora para implantar o comunismo na França. Não conseguiu, mas ficou multibilionário e todos os comunistas franceses passaram a precisar das suas boas graças. O mesmo aconteceu com inúmeros outros capitalistas em todos os países. Começaram servindo aos partidos comunistas, depois os compraram e hoje servem-se deles.

O feminismo é o machismo fêmeo.

Carroll Quigley, o grande historiador americano (e professor do Bill Clinton), ensinava que, quando as armas são baratas e de fácil acesso, há uma época de igualitarismo e liberdade; quando as armas se tornam caras e de difícil manejo, vêm as épocas de tirania e controle social opressivo. O MESMO, DIGO EU, SE DÁ COM OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO. Quando só os de cima podem falar, aos de baixo só resta gemer escondidos no porão. É por isso que petistas e similares têm uma ânsia irrefreável de controlar a internet, tirando a única arma de que dispomos, a arma que, furando a placa de chumbo da censura branca, vai eleger o Bolsonaro.

*

Os donos da grande mídia e toda a classe chique, comprometidos até à medula com o esquema terrorista e narcotraficante do Foro de São Paulo — estão cem por cento contra o Brasil e TUDO farão para subjugá-lo e mantê-lo a seus pés. É uma guerra moral como nunca se viu. Uma guerra sem regras e sem honra. A guerra do crime contra a justiça.

Nem tudo está perdido. Até o MBL já acordou. Até o Rodrigo Cocô. Até o Punheteu. Só falta a Raquel Sheherazade.

Fabio Blanco

Quando o Olavo de Carvalho, há muitos anos, expunha o caráter tucano, chamando o PSDB, inclusive, de linha auxiliar do PT, muitos espertalhões, metidos a intelectuais, tomavam-no por exagerado, quando não por louco mesmo. Agora que esse conluio está explícito, com a campanha psdbista fazendo de tudo para destruir o único candidato que pode impedir a volta da organização criminosa, quero ver se alguém vai ter a nobreza de dar o crédito ao filósofo.

Na velocidade febril da produção jornalística ou dos bate-bocas políticos, é impossível evitar erros de detalhe — nomes, datas, locais, títulos — que serão exibidos triunfalmente por algum contestador assanhado e, mesmo e sobretudo quando irrelevantes para o argumento central, brandidos como se fossem refutações integrais das ideias do autor e até provas da sua maldade infinita. Há pessoas que se especializam na busca incansável dessas picuinhas e se consideram, por isso, autênticos historiadores.

Escolham: Ou o Bolsonaro, ou a ditadura

https://jornalggn.com.br/noticia/pt-vai-tomar-o-poder-que-e-diferente-de-ganhar-uma-eleicao-diz-dirceu

Ontem, o PT assinou mais um manifesto em favor da ditadura venezuelana. Hoje, prometeu tomar o poder no Brasil, enfatizando que isso é diferente de ganhar simplesmente uma eleição. Precisa ser mais claro?

O Dirceu está atrasado. Pelo controle que exerce sobre a mídia, o show business, as escolas, o judiciário e as classes chiques, é evidente que o PT JÁ TOMOU o poder. A novidade, agora, é que vai perdê-lo.

 

Meu maior orgulho

Meu maior orgulho profissional é nunca ter dito ou escrito nada por interesse partidário, por lobby, por ideologia de grupo, por desejo de agradar ou de fazer bonito. Só escrevi e disse o que VI”
“Não estou aqui para agradar nem desagradar impeachmentistas, intervencionistas, evangélicos, católicos pré ou pós conciliares, o escambau. Estou tentando desesperadamente compreender o que se passa e contar o que vou descobrindo.”
“À beira dos setenta anos, estou pouco cagando para saber se agrado ou desagrado a protestantes, católicos, ateus, gayzistas, antigayzistas, esquerdistas, direitistas e ao resto do mundo. Quero me esforçar para dizer cada vez mais claro as coisas que vejo, e EXATAMENTE como as vejo. Ser um escritor é isso. O resto é relações públicas.”

 

26.9.2018

Da página do Dante Mantovani:

Veja, Exame, Isto É, Estadão, Folha de São Paulo receberam 600 milhões de George Soros para espalhar mentiras sobre BOLSONARO. Eu avisei que algo assim ia acontecer exatamente hoje, e por isso meu site foi derrubado por ataques DOS. Com muito custo subimos novamente, vejam aqui:

https://mci.radio.br/

*

*

Os dons espirituais sempre podem ser ocasião de novos e maiores pecados. Por isso Nosso Senhor não disse que devemos nos tornar iguais aos profetas, mas às criancinhas.

Olavo de Carvalho Paula Felix : Desculpe, mas ontem fiquei com preguiça de dar esta explicação.

Paula Felix Professor, Jesus não disse que nós, que somos maus, não damos uma cobra ao filho que pediu um peixe, iu um escorpião ao que pediu um ovo? Como Deus, que é bom, nos daria, como dom, como presente, um tal cavalo de Tróia? Não que Ele não tenha pleno conhecimento da nossa capacidade de fazer mau uso até de ovos e peixes, mas se por isso Ele nos negasse Seus dons, não teríamos sequer o da vida, quanto mais o da fé, o da sabedoria ou qualquer outro dos que Paulo cita em I Co 12, que Ele nos dá para a nossa edificação e a da Igreja!
Olavo de Carvalho Paula Felix UaI, foi você quem, ao ler que eu preferia antes o perdão dos meus pecados do que quaisquer dons espirituais, citou em resposta o exemplo de S.Pedro, que foi cumulado de dons espirituais e depois renegou o Cristo.
*
Se puderem, façam o curso do Fabio Florence. Conhecer o marxismo só por estereótipos pejorativos é rebaixar-se.
*
*
Há anos a Fôia vem-se especializando em produzir manchetes que o texto da matéria desmente.
*
Aprendi num vídeo de cachimbologia que há quatro tipos de cachimbeiros: o colecionador, que não para de comprar cachimbos até chegar à casa das várias centenas; o degustador de fumos, que coleciona gostos e aromas; o especialista, que faz foco num ou dois tipos específicos de cachimbos e não liga para o resto; e o utilitário, que fuma sempre o mesmo tipo de fumo em um ou dois cachimbos de estimação. Pertenço obviamente ao terceiro tipo, já que só comecei a colecionar cachimbos quando descobri as boqueiras de acrílico (lucite) marmorizadas ou coloridas, incrivelmente bonitas, e não me interesso por peças de outros tipos.
*
Digo por experiência, e só por experiência: é rero e bem-aventurado o cristão que lê muita Bíblia sem ficar viciado no espírito de controvérsia teológica.
*
Adoro o Catecismo da Igreja Católica, porque cada parágrafo dele é mais uma controvérsia de séculos que chega ao fim e da qual não precisarei saber mais nada.
*
— Então você se deixa guiar sem exercer o seu espírito crítico?
— Em questões que estão acima da minha capacidade, sim — e, quanto mais velho vou ficando, mais vou descobrindo que quase todas elas estão.
*
Estou muito feliz e até orgulhoso de ter resolvido duas ou três questões filosóficas, mas em geral ninguém imagina quantas outras questões tive de deixar de lado para poder resolvê-las.
“Um só idiota pode fazer mais perguntas do que sessenta sábios poderiam responder.” (Ditado russo)
Se Deus só deu umas poucas virtudes a cada um, não foi para que ficássemos reclamando da falta das restantes, mas para que, contemplando o conjunto dos nossos amigos, víssemos ali um estraordinário jardim de virtudes.

25.9.2018

Recomendo:

https://institutoborborema.com/produto/introducao-critica-ao-marxismo/

42442881_10156601038992192_8830052370839764992_n.jpg

Foi por pouco:

https://polibiobraga.blogspot.com/2018/09/justica-federal-nega-autorizacao-para.html?m=1

*

Carreata entusiástica pró-Haddad em Ijuí, RS. Se esse sujeitinho pega mais de DOIS por cento dos votos, É FRAUDE. (Vídeo da página da Christina Fontenelle.)

https://www.facebook.com/ChristinaDFontenelle/videos/10205346102409420/

*

OBS. Se o anúncio da entrevista do assassino era “fake news”, por que a Justiça Federal a proibiu? Fake news o caraio. A coisa foi, isto sem, um truque abortado.

Esclarecimento importante:

42497089_10156601511037192_1909590997227012096_n.jpg

Stefan Carrão Pinto Professor Olavo, o que o Políbio diz na nota é que o TRF1 negou que houvesse sido dada autorização para o homicida dar entrevista, e não que foi efetivamente negada uma autorização pedida. Tal autorização cabe ao juiz da vara de execuções penais. Agora, segundo ainda a nota, a autorização foi pedida. Certamente os advogados têm alguma entrevista ‘providencial’ engatilhada. https://polibiobraga.blogspot.com/…/justica-federal…

Algo me diz que estamos às vésperas da maior compra de votos e de consciências já observada em toda a história humana. Consciências a granel são mercadoria de fácil acesso, especialmente na mídia, mas votos têm de ser comprados um por um, em dinheiro vivo, uma trabalheira do cão.

Deus inspirou a narrativa bíblica, mas não a escreveu Ele próprio. Os FATOS e os SERES ali mencionados, no entanto, Ele os produziu pessoalmente, um por um.

A diferença entre a letra e o espírito é a mesma que existe entre as palavras e as coisas. A palavra “alimento” não alimenta.

Quanto mais você estuda História, mais descobre que os horrores e maldades da Idade Média datam do Renascimento.

Na democracia brasileira,
1) Prender bandidos é nazismo.
2) Legítima defesa é nazismo.
3) Votar com a maioria é nazismo.
4) Ser contra o narcotráfico é nazismo.
5) Querer que as crianças aprendam matemática e português nas escolas é nazismo.
Nem na Alemanha dos anos 30 houve tantos nazistas,

Atenção:

*

A democracia dos comunopetistas e associados é democratizar o cu dos outros.

*

Os militares que nos governaram a partir de 1964 NADA FIZERAM para impedir que os comunistas e seus sócios voltassem um dia ao poder. Mas estes, tão logo se apossaram do Estado, tudo fizeram para conservá-lo em suas mãos PARA SEMPRE, bloqueando todos os canais de expressão e de ação das preferências majoritárias. Construíram uma democracia para eles mesmos, excluindo os outros, os estranhos, os não-ungidos — nós, a nação brasileira, o povo inteiro. Carimbaram-nos de nazistas, homofóbicos, intolerantes, assassinos de gays, mulheres, índios e judeus, para nos manter para sempre em silêncio, de cabeça baixa e rabo entre as pernas. O que chamam de democracia é, literalmente, o que Lênin denominava CENTRALISMO DEMOCRÁTICO — a democracia da elite mafiosa, onde o povo não entra. Manter e eternizar esse esquema de poder, baseado no roubo, na mentira, na censura e na opressão, é o que chamam de “estabilidade democrática”. Esse castelo de iniquidades tem de ruir, e todos os seus ocupantes privilegiados têm de pagar pelos seus crimes.

*

Alguém aí conhece profundamente a gramática espanhola? Estamos aqui precisando de uma ajudinha.

AGRADEÇA AO OLAVO POR ESTARMOS VIVOS

AGRADEÇA AO OLAVO POR ESTARMOS VIVOS

Em 2017, o filósofo brasileiro Olavo de Carvalho participou de um debate em Harvard. Em seguida, foi jantar com a esposa Roxane e um pequeno grupo de amigos no Restaurante Sem Nome (No Name Restaurant), que serve frutos do mar no mercado central de Boston. Lá foram atendidos por um velhinho grego que é, ao mesmo tempo, dono e garçom da casa. Como uma equipe de TV pediu para fazer uma entrevista com Olavo no local, o proprietário do restaurante percebeu que se tratava de uma pessoa “famosa”.

Depois da entrevista, o velhinho grego se aproximou de Olavo e, com muita discrição, perguntou em inglês quem ele era. Olavo respondeu com a habitual gentileza e convidou o proprietário a sentar-se. O rosto do homem se encheu de surpresa:

— Olavo de Carvalho, o filósofo?

— Sim, sou eu mesmo.

Então o velhinho começou a chorar.

Na juventude, o velhinho havia estudado filosofia. Tempos atrás, ele recebera pela internet um artigo sobre religião, traduzido para o inglês, e havia dado para o filho ler. Após a leitura do texto, o moço decidiu voltar à Igreja, da qual estava afastado por muito tempo. O dono do restaurante fizera questão de guardar o nome daquele autor que tanto bem fizera ao seu filho. Era Olavo de Carvalho, “brazilian philosopher and writer”. E agora, por uma incrível sorte, o homem estava ali, diante dele!

Conto essa pequena história verídica para ressaltar uma das realizações menos lembradas do meu amigo e professor Olavo de Carvalho: ele é responsável por um número incalculável de conversões religiosas. O trabalho de educação intelectual clássica que ele faz provoca, não raro, um despertar espiritual em seus alunos. Os casos de pessoas que voltaram à Igreja depois de ler seus livros e assistir às suas aulas poderiam encher esta página.

Assim como existiu a Lista de Schindler, existe uma Lista de Olavo, composta pelas pessoas que o filósofo reconduziu à Igreja, por meio da alta cultura e do estudo dos clássicos. Assim como há os “judeus de Schindler”, há uma quantidade espantosa de “cristãos de Olavo”, que graças ao filósofo se libertaram de suas amarras ideológicas e ateísticas.

Aqui vale a pena lembrar a frase de Nassim Taleb: “Nunca espere condecorações por dizer a verdade”. Se você busca o aplauso das elites acadêmicas, fazer parte da Lista do Olavo não é um bom negócio. Mas, se você procura o conhecimento e a contemplação da verdade, vale muito a pena.

Hoje em dia as pessoas falam muito de listas vergonhosas, como a da Odebrecht. Na Internet, de vez em quando, pipocam as listas de “verdades e mentiras”. Pois eu vou contar aqui uma simples verdade: com modéstia, mas também com orgulho, pertenço à Lista do Olavo.

O trabalho que Olavo fez pelo resgate da alta cultura no Brasil é comparável a uma Operação Lava Jato do espírito — e hoje, de certa maneira, se repete na campanha pela eleição de Jair Bolsonaro. Deveríamos estar tão agradecidos a ele quanto o velhinho grego do Restaurante Sem Nome.

24.9.2018

*

Atenção:

https://www.facebook.com/enio.fontenelle/videos/10217304815510768/

Carreata entusiástica pró-Haddad em Juiz de Fora. Se esse sujeitinho pega mais de DOIS por cento dos votos, É FRAUDE. (Vídeo da página da Christina Fontenelle.)

https://www.facebook.com/ChristinaDFontenelle/videos/10205346102409420/

42442881_10156601038992192_8830052370839764992_n

A polícia não pode divulgar dados da investigação, para não ajudar o Bolosonaro, mas o assassino pode dar entrevista para foder com o Bolsonaro. É óbvio que TODOS os adversários do Bolsonaro são psicopatas criminosos, gente totalmente desprovida de escrúpulos.

Maravilhoso: o juiz se emputece com a luta desonesta, nocauteia um lutador, derruba o outro e não para de dar porrada enquanto não aparecem quatro para segurá-lo. Vejam do minuto 2:56 em diante:

Na parte I do livro “A Marcha dos Abismos”, que li e comentei em aula, expliquei como Karl Marx veio a influenciar o curso da História menos pela sua doutrina explícita do que pela sua omissão preguiçosa de examinar em detalhe a questão das relações entre a intelectualidade e o proletariado, de cuja existência ele estava perfeitamente consciente. Coisa similar aconteceu com Lutero e Calvino, que não examinaram as possíveis consequencias históricas de negar a transubstanciação. Não se trata de “doutrinas”, mas daquela zona nebulosa entre idéias e realidades, na qual se desenrola, precisamente, o processo histórico. Um bom leitor teria ao menos desconfiado de que eu jamais perderia meu tempo com um confronto estático de doutrinas, tão ao gosto de pregadores e refutadores.

Em favor de Lutero e Calvino pode-se alegar o fato de que uma consciêncis histórica explícita não se desenvolveu antes do século XVIII, mas nem por isso os efeitos da sua imprevidência foram menos devastadores. A mente doutrinária só pensa em provar e refutar doutrinas.

O único dom que espero que Nosso Senhor me dê é o de fazer uma boa confissão antes de morrer.

Mudando de assunto: Se uma força invisível me desse os mais prodigiosos dons espirituais e curas miraculosas sem primeiro me libertar dos meus vícios e pecados, ninguém precisaria me avisar de que Nosso Senhor nunca faz isso. Sou idiota, mas nem tanto.

Davy Barbosa Tenho uma dúvida. Os santos a igreja católica conseguiram alcançar um estado em que não mais pecavam?

“A” Igreja sempre esteve nesse estado, aliás por definição. Os santos, no momento da morte, estavam sem nenhum pecado nas costas.

Acho que passei a entender as coisas um pouco melhor depois que ficou claro na minha cabeça que as realidades da fé não são “doutrinas”, palavras articuladas que podemos discutir, provar ou refutar, mas fatos do mundo como o calor e o frio, os bichos e as montanhas, a noite e as galáxias, o oceano e as tempestades.

Até hoje não entendi como Charles Sanders Peirce conseguiu conciliar a semiótica com o pragmatismo. É verdade que só li um pedacinho das suas obras, mas desconfio que lê-las por inteiro não vai resolver o problema.

https://amgreatness.com/2018/09/22/brazils-bolsonaro-threatens-an-evil-system/

O delegado que chefia a investigação da tentativa de homicídio foi assessor de petista. Preciso dizer mais?

*

Abaixo a legalidade, viva o crime!

42313214_10156598423697192_1233062763966758912_n

23.9.2018

*

Enquanto os cigarros rapidamente se democratizaram entre os dois sexos, ao ponto de que entre os seus consumidores as mulheres são hoje a maioria, os charutos e cachimbos continuaram sendo objetos de consumo predominantemente masculino. Mas as diferenças entre eles são significativas. Enquanto o charuto evoca sobretudo reuniões de mafiosos, de políticos e de homens de negócios — com uma ou outra mulher altiva e “empoderada” no meio da chiqueza toda –, o cachimbo fica mais à vontade num ambiente relaxado e aconchegante, a sala onde um vovô conta histórias aos netinhos ou a floresta onde uma roda de caçadores, em torno da fogueira, relembra aventuras de antigamente. Ademais, o charuto, extinta a brasa, vai para o lixo, enquanto o cachimbo volta à estante, junto à coleção dos seus parceiros, para o deleite visual e táctil do seu colecionador. É a diferença entre um objeto de uso e uma peça de arte que se ama e se guarda. Eu jamais poderia ser um aficionado de charutos.

A fábrica francesa Butz-Choquin produz delicados cachimbinhos para as damas.

É incrível — para quem estuda o assunto –, mas ainda há pessoas que confundem analfabetismo funcional com escasso domínio da gramática — dois fenômenos que frequentemente vêm juntos, mas que não são o mesmo de maneira alguma. O ignorante de gramática não tem a menor dificuldade para reconhecer sua deficiência, mas o analfabeto funcional, quase sempre, imagina que entende tudo e, quando lhe mostramos que não entende, acha que é mera diferença de opiniões ou então maldade nossa.

A ignorância da gramática vem junto com complexo de inferioridade e inibição social com a mesma freqúência com que o analfabetismo funcional vem acompanhado de síndrome de Dunning-Kruger.

*

Carmela Manna Ferreira Paula Félix , vou responder aqui à uma acusação que você me fez num post seu, respondendo à uma pergunta .
Nao pude responder lá .
Você disse que eu fiz intriga quando falei sobre o post do Padre Pio,tenha a santa paciência , um post público no facebook, ironizando um Santo , seria preciso a minha intriga para o professor Olavo saber da existência dele?
Faz o seguinte : não cite o meu nome mais, já esqueci o seu .
Paula Felix Desculpe, Carmela, mas ao fazer referência à minha postagem para o Professor sem citar o meu nome e sem, antes, ter falado comigo, sendo que éramos amigas, você agiu com malícia intrigueira, sim. E quanto a citar o seu nome, eu tenho todo o direito de fazê-lo quando a esclarecer esse caso, pois foi o que aconteceu. Contudo, não sou eu quem está na sua página monitorando não só as suas pastagens como os comentários feitos nelas, então pode ter certeza de que, tirando a decepção, você foi esquecida bem mais rápido do que esqueceu.

Olavo de Carvalho Paula Felix Tem sentido reclamar quando pessoas não convidadas escrevem na sua página, mas não quando simplesmente a lêem.e a comentam nas suas próprias. Isso contraria a própria definição do verbo “publicar

Paula Felix : “Palavras de conhecimento, sonhos proféticos, visões e intervenções diretas” — eu trocaria tudo isso pela prudência de não julgar com leviandade um homem santo.

Olavo de Carvalho Paula Felix Acorde

Olavo de Carvalho Paula Felix (1) Não acusei você de coisa nenhuma. Admirar idiotas não é um pecado, é apenas benevolência deslocada. (2) Seria absurdo crer que Jesus não responde às preces dos protestantes. Creio que já disse isso várias vezes. Mas não creio que as respostas que você recebeu a habilitem a falar do Padre Pio com aqueles ares de desprezo superior.

+treta: 

*

Há nove anos recebo, todos os sábados, perguntas dos meus alunos e nunca, nunca vi um só caso de grave — muito menos escandalosa — incompreensão da aula.

Fábio Salgado de Carvalho, assim como o Raphael De Paola e mais meia dúzia, está entre os alunos mais qualificados para prosseguir o meu trabalho — e até dar-lhe um “upgrade” — quando eu bater as botas ou ficar gagá.

Raphael De Paola Como não amar esse homem?
Raphael De Paola Mas há mais gente, e muita gente, que ainda está quietinha. Devido a conversas privadas, posso mencionar, sem pestanejar, uns vinte que eu já agora reconheço como de mais estatura que eu. Não é falsa modéstia, é a minha inteligência reconhecendo luzes maiores que a minha.
Fábio Salgado de Carvalho Que responsabilidade, professor! Muito obrigado pelas palavras. Fico muito feliz em ser citado com o Raphael, a quem admiro muito.
*

Os retóricos romanos julgavam mais fácil, para o argumentador, persuadir um inimigo feroz do que um ouvinte incapaz. Eu que o diga.

O analfabeto funcional é estruturalmente incapaz de perceber que, quando apontamos nas suas idéias uma ‘ignoratio elenchi”, NÃO ESTAMOS contestando suas opiniões sobre o tema e sim apenas mostrando que elas não existem.

Campanha da Claudia Tait:

42383548_10156597398622192_5737339261003235328_n

A escrita literária é a arte da ambiguidade controlada — algo eternamente inacessível às mentes viciadas no conforto fácil das correspondências biunívocas. É o mata-burros do analfabeto funcional diplomado.

Uma pessoa perfeitamente alfabetizada pode ser ruim de gramática pelo resto da vida se parar de estudar o assunto logo na adolescência, mas o analfabeto funcional já está pronto para uma vida de burrice entre os cinco e os oito anos. A inépcia gramatical pode ser corrigida com uma simples retomada dos estudos, mas superar o analfabetismo funcional exige a realfabetização e quase uma metanóia.

Repito: o analfabetismo funcional endêmico entre as classes ditas letradas é O MAIOR PROBLEMA DO BRASIL, muito acima da corrupção, do nacotráfico, da violência generalizada, da pobreza e do desemprego, pois é ele que impede que qualquer desses problemas tenha solução.

Os analfabetos funcionais ajudam uns aos outros a não perceber que o são.

O esquerdismo brasileiro é herdeiro consciente e orgulhoso do getulismo, o próprio Lula escolheu Getúlio Vargas como seu queridíssimo modelo político — e ainda há quem ria quando ouve dizer que o facismo é de esquerda.
O analfabetismo funcional endêmico culmina num estado de alienação total e definitiva.

Convivi durante duas décadas com intelectuais de primeira ordem trinta anos mais velhos que eu — todos eles vitoriosos na vida — e nunca, nunca lhes pedi um favor, nunca torrei o saco deles com objeções (mesmo quando as tivesse), nunca me insinuei no ambiente social deles, nunca deixei de amá-los e respeitá-los como se fossem meus tios ou avós. Minha mãe me ensinou direritinho a jamais ser um pentelho.

Se você quer me ofender gravemente, me diga coisas como: “Admiro muito você e a véia dos gatos”, “Admiro muito você e o Marco Antonio Vil”, “Admiro muito você e o Arruinaldo Azevedo”, “Admiro muito você e o Rodrigo Cocô”, “Admiro muito você e o hominho dos dois dedos.”

Se você quer me ofender mais ainda, diga que o meu problema com essas pessoas é divergência de opiniões.

Winston Churchill, antes de se tornar primeiro-ministro, já era um dos maiores escritores de uma das mais ricas literaturas do mundo. Quase um Ciro Gomes, não é mesmo?

A diferença maior entre o filósofo e o teólogo é que o primeiro não exerce senão a humilde autoridade da persuasão humana mesmo quando tem cem por cento de razão, enquanto o segundo pode pronunciar bobagens descomunais acreditando que o faz com a autoridade do próprio Deus.

Não tenho a menor idéia. Fiz o teste aos 58 anos. Acho que antes o meu QI era menor.

A diferença maior entre o filósofo e o teólogo é que o primeiro não exerce senão a humilde autoridade da persuasão humana mesmo quando tem cem por cento de razão, enquanto o segundo pode pronunciar bobagens descomunais acreditando que o faz com a autoridade do próprio Deus.

Não acredito nessa coisa de “missão”. Fui eu que me ofereci para fazer este servicinho, e Deus, com dó de mim e vendo que não havia outros candidatos, me aceitou.

Nancy Galvão Missão, não sei, mas vocação, eu acho. Não sei se concorda comigo.

Não acredito nessa coisa de “missão”. Fui eu que me ofereci para fazer este servicinho, e Deus, com dó de mim e vendo que não havia outros candidatos, me aceitou.

Ninguém sabe romantizar os seus crimes e iniquidades como os comunistas. Quando um comunista assalta uma velhinha ou estupra uma garota de doze anos, logo a coisa é glamurizada em filmes e canções populares capazes de emocionar uma estátua equestre.

Karim Sebti “estátua equestre” 😂😂😂😂

Onde o senhor vai buscar estas imagens, Professor ???

Olavo de Carvalho Elas me fazem feliz.

*

No Brasil, quando o sujeito aprendeu a comparar uma frase com outra frase para ver se concordam ou discordam, acha que chegou ao cume do desenvolvimento humano.
Mas eu me lembro de que o primeiro feito intelectual que me impressionou, quando eu tinha uns dezoito anos de idade, foi a similaridade que Georg Lukacs encontrou entre o gênero romance e a ordem capitalista — uma comparação entre duas estruturas invisíveis, escondidas no fundo de um longo processo histórico. Ainda acho essa descoberta um momento de brilho incomum na história dos estudos literários.

Mas eu quero que eles se tornem famosos. Para ensinar o certo preciso de maus exemplos.

Bruno BL Interessante. Qual obra do Lukács contém essa reflexão?
Olavo de Carvalho Li numa antologia de ensaios dele publicada pela Civilização Brasileira nos anos 60. A tese é brilhantemente reexposta por Lucien Goldmann em “Pour une Sociologie du Roman”.
*

Dentre centenas de autores marxistas que andei lendo ao longo da vida, Georg Lukacs e Antonio Negri são os dois únicos pelos quais tenho ainda alguma admiração, embora não de ordem moral.

Zenildo Junior Silva Figueiredo O que o senhor admira nesses dois?
Olavo de Carvalho Perceber o nexo profundo entre uma obra filosófica ou literária e o movimento maior da história é um grande feito intelectual — e esses dois o alcançaram várias vezes.
*

Uma parente minha, solteira, engravidada e abandonada, me disse que queria se matar.
— Não se dê esse trabalho, respondi. — Eu mesmo mato você.
Ela começou a rir e tirou aquela idéia da cabeça.

O socioconstrutivismo foi inventado PARA bloquear a passagem normal e natural da percepção ao pensamento abstrato e substitui-la por associações de idéias forjadas por planejadores sociais. O dano afeta a pessoa FISICAMENTE e, ao contrário da ignorância gramatical, não pode ser corrigido por mero estudo. O analfabetismo funcional é uma TRAGÉDIA DE PROPORÇÕES COLOSSAIS.

Karim Sebti Por favor, o senhor poderia dar alguns exemplos de como isso funciona na prática? 👀
Olavo de Carvalho Toda a capacidade para comparações e distinções que desenvolveremos ao longo da vida depende da consciência fonética, silábica e classificatória desenvolvida nos primeiros anos. Converse a respeito com o Carlos Nadalim.
*

Respostas:
1) Porque o ex-astrólogo É um pensador e Eduardo Wolff é apenas mais um idiota.
2) Porque o geocentrismo É uma questão em aberto (v. https://www.imdb.com/title/tt2458876/).
3) Porque HÁ uma intriga global para acabar com o Ocidente (v. https://pt.scribd.com/docum…/252694700/The-West-and-the-Rest).
4) Porque o nazismo jamais teria chegado a ser uma ameaça para o mundo sem a ajuda que recebeu da URSS. V. https://www.amazon.com/Stalins-War-Radical-Or…/…/ref=sr_1_2…

*

A realização máxima dos “formadores de opinião” brasileiros de hoje em dia é me copiar com vinte anos de atraso, tentando cavar um dinheirinho com isso, e dar-se ares de superioridade empinanando o narizinho e me chamando de “astrólogo”.

Nos anos 30, ninguém estranhava que o nazifascismo fosse visto como um movimento revolucionário, dissidência interna do esquerdismo mundial, seja por seus críticos (Hayek, “Roads to Serfdom”; Mises, “Socialism”), seja por seus adeptos (Drieu la Rochelle, “Socialisme Fasciste”). Foi só quando Hitler traiu o pacto Ribbentropp-Molotov que Stalin repentinamente retirou do lixo a teoria do seu desafeto Leon Trotski segundo a qual Hitler e Mussolini eram agentes do grande capital e a espalhou pelo mundo como se fosse de sua própria invenção. Analfabetos que desconhecem a origem das suas crenças acham que o “nazismo de direita” é um dogma eterno só contestado por ignorantes.

Este mundo é injusto. Não se vê pelas ruas um só cartazinho de “Eduardo Wolff tem razão”.

42489787_10156598354782192_5238787574771744768_n.jpg

Agora, caraio, só falta alguém vir me dizer: “Admiro muito você e o Eduardo Wolff”. Aí será mesmo o caso de mergulhar na privada e pedir asilo político aos cocôs.

Desde que venci umas competições de corrida no ginásio, nunca mais perdi meu tempo concorrendo com ninguém em qualquer atividade que fosse. Faço o meu serviço e ponto final.

Paulo Gondim está com Olavo de Carvalho.

Hoje teve Marcha pela Família em Recife, em apoio ao Capitão e, claro, tem mais placas (principalmente ofensivas). Comecemos pelo responsável disso tudo:

42443933_1953298061375990_7441966202592690176_n.jpg

 

Eduardo Wolff leu um post meu INTEIRO — sabem lá o que é isso? — e saiu dando um curso de “Guerra Cultural”.

“Adquirir cultura”, no Brasil, consiste em impregnar-se dos modos de falar da turminha chique da Fôia e da Casa do Saber. Chegar a isso é o apogeu da glória intelectual.

Se o tal do Wolff acha que não existe nenhuma intriga mundial contra o Ocidente, de que caraio de “guerra cultural” ele está falando? Será que é a guerra contra o Lula?

Se a estatura de um escritor se mede pela dos seus críticos, eu sou mesmo um bosta.

Vocês já contaram o número de picaretas que estão fazendo dinheiro macaqueando mal e porcamente coisas que escrevi décadas atrás?
É um fenômeno tão geral e endêmico quanto o anti-olavismo explícito.
Esse pessoal está mesmo decidido a provar que nada aconteceu na cultura brasileira do último meio século exceto eu.
Vou acabar achando que eles têm razão.

No Brasil de hoje ainda há pessoas que escrevem maravilhosamente, como por exemplo o Érico Nogueira, a Lorena Miranda Cutlak, o Rodrigo Duarte Garcia, o Paulo Briguet, o Rodrigo Gurgel, o Renato Moraes, mas, aos 57 anos (e talvez por isso mesmo) o Alberto Mussa continua sendo a única prova visível de que existe vida literária inteligente fora do olavismo.

Dai Nepomuceno

Ciro Gomes no Santuário de Aparecida acendendo vela para tentar ganhar votos após declarar querer acabar com a moral católica é o que eu chamo de a fumaça de Satanás entrando na Igreja.

 

Se digo que Karl Marx criou a tirania do Estado socialista e alguem acha que me contesta mostrando o parágrafo no qual Marx advoga o fim do Estado, faz EXATAMENTE o que o Yago Martins fez com o que eu disse de Lutero e Calvino.
Os líderes de grandes correntes políticas, culturais e religiosas não influenciam o curso das coisas só por suas palavras explícitas mas SOBRETUDO pela imprevidência criminosa que se recusa a analisar as conseqüências inevitáveis e previsíveis dessas palavras.
Mas isso requer um tipo de análise que está infinitamente acima das possibilidades de um analfabeto funcional, para o qual tudo o que está além do texto explícito é invisível.