Intuição lógica

“Existe no ser humano uma propriedade que merece o nome de “intuição lógica”, a capacidade de captar instantaneamente não só as conclusões certas de um longo raciocínio, mas de vários ao mesmo tempo, bem como suas articulações e suas conexões com os dados da intuição. Em dose maior ou menor, todo mundo tem essa capacidade. O hábito adquirido de detalhar e expressar analiticamente cada passo do raciocínio inibe o exercício da intuição lógica até o ponto de sufocá-la por completo. Uma coisa é o pensamento lógico em ação, outra o seu estudo analítico. As duas coisas NÃO SÃO solidárias entre si, muito menos coextensivas, do mesmo modo que você não pode fazer sexo e estudar um livro de sexologia ao mesmo tempo. As regras da lógica são boas quando se tornaram inconscientes, assim como nenhum escritor pode escrever bem se prestar muita atenção às regras de gramática que está seguindo. Eis por que os estudiosos mais aplicados de lógica acabam pensando praticamente só sobre ela, ou pensando mal quando pensam sobre outras coisas.”

Apelo de ódio

Publicado por Olavo de Carvalho no Diário do Comércio de 19 de janeiro de 2011.

“(…) Nos EUA, quanto mais perde público, mais o establishment jornalístico apela a recursos de difamação histérica que o próprio dr. Joseph Goebbels consideraria, talvez, um tanto grosseiros demais para persuadir um público adulto.
Um desses expedientes é cobrir de invectivas odiosas os personagens que se pretende rotular de odientos. Não é preciso, para sustentar o ataque, citar um só apelo de ódio que tenha saído da boca da vítima. Não é preciso nem mesmo torcer suas palavras, dando um sentido odiento ao que não tem nenhum. Ao contrário: basta espumar de ódio contra a criatura, e fica provado – espera-se – que odienta é ela. Tudo é feito na expectativa insana de que o automatismo mental do público o induza a sentir que pessoas que despertam tanto ódio devem ter ainda mais ódio no coração do que os jornalistas que as odeiam. Há sempre uma faixa de militantes estudantis e ativistas ongueiros que, por infalível instinto colaboracionista, finge acreditar na coisa, reforçando o ataque com insultos escatológicos e ameças de morte, de modo que a violência crua despejada sobre o alvo inerme acabe por se mesclar tão intimamente à sua imagem que pareça provir dele. (…)”

Parasitas da inteligência

Parasitas da inteligência, por Olavo de Carvalho:

”O melhor é não ter auto-imagem nenhuma; é você não ter opinião sobre os outros e nem sobre si mesmo. Para um vida de estudos, uma vida intelectual, isso é fundamental. As opiniões são parasitas da inteligência. Para julgar a conduta alheia, ou a sua própria, bastam critérios objetivos, como os Dez Mandamentos. Você apenas precisa saber se desobedeceu a algum. Se não desobedeceu, esqueça. Se você desobedeceu, há meios rituais para solucionar a situação. Então por que preocupar-se? Não é para gastar muito tempo pensando nisso. Claro que há momentos de crise nos quais a pessoa se depara com o mal que há em si, mas esses são momentos que passam. Eles não devem ser incorporados para o resto da vida.

Todos esses parasitas psicológicos devem ser abandonados por você o mais rápido possível. Existe, evidentemente, uma ética, uma psicologia da vida intelectual. (…) você deve pensar: ‘O que em mim, enquanto obstáculo psicológico, se interpõe entre mim e a realização intelectual que pretendo alcançar?’ Alcançar a realização intelectual é seu dever porque é a sua vocação. E a realização da vocação será cobrada por Deus. Ele questionará: ‘Eu te dei tal dom, e o que fizeste dele?’ Você tem de realizá-lo. Isso não é vaidade. A vaidade entra no momento em que você está pensando na repercussão que isso terá. Neste sentido eu aprendi muito, porque o começo da minha vida foi tão difícil, até os 30 anos, que eu tive de desistir de tudo. Eu disse que queria saber alguma coisa mesmo que não conseguisse contar para ninguém. Eu desisti de qualquer realização externa aos 30 anos. E tendo desistido, curiosamente, fiquei livre para aprender o que bem desejasse aprender. Eu não tinha ninguém para agradar ou desagradar, ninguém estava ligando para o que eu fizesse.

A partir desse momento a sua vida intelectual começa a transcorrer apenas diante de Deus. Apenas Deus sabe que você sabe algo. Deus é a sua única testemunha. Se você misturar desde cedo a realização da vocação com o problema da carreira, você será liquidado. Isso pode ter até uma dimensão religiosa, se você quiser. Isso pode significar o virar as costas para o mundo. O mundo, assim, não exercerá mais poder sobre você. (…) Você só será feliz se tudo o que você fizer tiver apenas Deus como testemunha. O mundo não ligará para os teus feitos, mas você será feliz. Eu posso dizer que é assim porque eu realmente fiz isso. Se depois, por uma série de circunstâncias, você for chamado para desempenhar uma função pública, você a desempenhará com muita força, como eu estou fazendo. Eu não digo que não posso ser comprado, mas vai custar muito caro. Eu não digo que não posso ser intimidado, mas que venham pelo menos cem armados. Eu não digo que não posso ser seduzido, mas precisaria pelo menos de umas 30 mulheres. Tudo isso pode acontecer, pois imune ninguém está.
Não criar opiniões sobre pessoas faz bem e libera uma energia intelectual que você não imagina”. (Princípios e métodos da auto-educação, aula 01)

Frases de Olavo de Carvalho X

Não há atitude mais porca, no jornalismo, do que apelar a rotulações políticas em conflitos pessoais. Quando tenho de chamar um filho da puta de filho da puta, não digo, em vez disso, “socialista fabiano”, “comunista” ou “extremista de direita”.
O estilo é o homem. Às vezes é o meio-homem”.

*

Quando a decência tornou-se cinismo, é preciso esculhambá-la impiedosamente para restaurar a mera possibilidade da vida moral. Reverências e salamaleques ante o fingimento cínico são culto prestado a Satanás.

*

No contexto do efeminamento geral no Ocidente, o último reduto da masculinidade se torna o banditismo.
*

Toda visão holística é falsa por natureza.

*

No dia em que mais de cem brasileiros compreenderem que o “quê” vem antes do “porquê” (o “quid” antes do “quia”, diria um escolástico), haverá discussões razoáveis neste país.

*

Quando você vê um casal bonito e fica sinceramente feliz com a felicidade deles, é sinal que Deus o está ajudando de muito perto.

*

Deus perdoa os adúlteros, os mentirosos, os ladrões e até os assassinos, mas não perdoa quem não perdoa. Posso estar enganado, mas suspeito que no inferno há menos adúlteros do que cônjuges virtuosos que lhes negaram o perdão.

*

A mais perfeita forma de amizade somente é possível para aqueles que buscam a Verdade. Pessoas mundanas, por melhores que sejam, jamais conhecerão a dimensão espiritual de um verdadeiro amigo.

*

As pessoas que mais se angustiam na vida são aquelas que padecem de uma desesperadora falta de problemas.

*

O capital intelectual é o que define o destino das nações.

*

A paciência é o começo da coragem. E é mesmo. Se você não consegue sofrer calado, sem choramingar nem amaldiçoar o destino, muito menos vai conseguir agir certo quando surgir a oportunidade.

*

O amor é sobretudo um instinto de defender o ser amado contra a tristeza.

*

Não existe caminho das pedras. O Brasil só pode ser melhorado cérebro por cérebro.

*
Não há ingenuidade maior do que querer parecer esperto.
*

-O que você quer ter sido quando morrer?

*

O Brasil só tem DOIS problemas: uma incultura MONSTRUOSA e a ânsia do brilho fácil.

*

Pare de propor soluções nacionais, seu filho da puta. Faça algo para se educar e educar as pessoas em torno.

*

Já expliquei mil vezes: Não tenho nenhuma solução para os problemas nacionais, mas tenho algumas para você deixar de ser burro.

*

Estudar pouco e discutir muito é a desgraça do brasileiro.

*

À medida que vai se empoderando, o sujeito sai logo enfoderando todo mundo em torno.

*

O comodismo conservador é tão obsceno quanto o fanatismo esquerdista.

*

A moral burguesa só se preocupa com pequenos deslizes sexuais porque é covarde demais para enxergar os grandes crimes do satanismo universal.

*

Ser jovem é uma doença que o tempo cura.

*

Em grego, “idios” quer dizer “o mesmo”. “Idiotes”, de onde veio o nosso termo “idiota”, é o sujeito que nada enxerga além dele mesmo, que julga tudo pela sua própria pequenez.

*

Quanto ao politicamente correto: só crianças acreditam que mudando o nome de algo, ele passa a ser o que elas desejam.

*

O Brasil é o país em que famílias de bandidos mortos em conflito de facções nos presídios tem o direito a uma indenização do Estado e as vítimas destes mesmos criminosos da sociedade não faz jus a nada.

*

Revolução é um projeto de futuro para toda a sociedade a ser implantado mediante a concentração de poder.

*

A vocação é algo para o qual você tem uma resistência específica. A minha resistência específica é a burrice humana.

*

A resposta-padrão “Fascista é o cu da sua mãe” está superada. Agora é “Comunista é o cu da sua mãe”.

Senso da justiça

“No Brasil raríssimas pessoas têm o senso da justiça e da injustiça, da verdade e falsidade. Os demais substituem-no pelo de amizade e inimizade. Não condenam alguém por ser culpado nem o absolvem por ser inocente; condenam-no por ser inimigo, absolvem-no por ser correligionário. E não apenas fazem isso, mas imaginam que todo mundo age segundo esse critério, faz o mesmo que eles fazem, quer o mesmo que eles querem.”

Poema

Por Olavo de Carvalho
Nasceste nesse mundo sem sair do eterno
e para lá voltaste sem sair daqui.
Expulsaste os demônios no fundo do inferno
sem nem descer do trono que pertence a ti.
Ferido e mutilado no topo da cruz
resgatavas da morte eterna teus algozes
que, ao pregar no madeiro duro aos teus pés nus
sorviam como delícias tuas dores atrozes.
Não perdestes nenhum dos que o Pai te entregou,
mesmo os que relutavam em seguir teus passos
sem saber que só em ti podem dizer Eu Sou.
Salva-nos por teus méritos, encarnação do verbo
cujos os nossos são falsos e escassos
e nem para louvar-te jamais bastarão.

Formas de felicidade

São duas as formas de felicidade: uma é egoísta, narcisista; a outra é altruísta, própria do adulto.

Há uma frase linda que diz: ‘Ser sincero é morrer um pouco’. Toda vez que você é sincero, que você fala a verdade, morre em você mais uma ilusão. E você apenas suportará as mortes de suas ilusões se você conseguir uma outra satisfação, num outro plano, que é a satisfação do amor ao próximo, do amor a Deus. Somente assim você irá reconquistando no plano da universalidade a felicidade a que você tem acesso no plano do egoísmo individual. Isso é a raiz da vida humana. O homem foi feito para isso.
Por isso eu fico aborrecido com pessoas adultas que buscam satisfações de adolescentes, lambendo o próprio ego, dizendo: ‘Eu quero isso!’, ‘Eu preciso disso!’. Você não precisa de nada! Você precisa é de serviço, de encargo, de responsabilidade, de amor ao próximo para aprender a viver. Quando eu vejo um sujeito dizendo que precisa de determinada roupa, de determinada comidinha, empreguinho, namoradinha, carrinho, tudo isso apenas para ele não ficar tristinho, eu acho isso asqueroso! Você tem de buscar a realização de um supremo valor que torna a vida humana valiosa, independentemente de assim ir para cima ou para a morte. Nesse ponto, o sacrifício é o único sentido da vida humana. Sacrifício é uma obra sacra, sagrada.
O sacrifício é nesta direção, a direção de largar o mundo da ilusão egoísta, o mundo da auto-proteção que é bom apenas para as crianças, e encontrar satisfação em algo que transcenda a tua pessoa, que pode ser o benefício da humanidade ou mesmo de uma família. O homem que se sacrifica pela sua família já é um ser humano evoluído.
Para que um indivíduo viva uma vida de auto-satisfação é necessário que o protejam de suas fantasias infantis. O teste é o seguinte: retire o sujeito de dentro desse universo protegido, e deixe-o sozinho numa determinada situação, e você verá que ele é menos que um bebê. O homem tem de estar preparado para saber que ele, individualmente, não pode ser nada. Ele só é alguém em função do valor pelo qual ele se dedica, pelo qual ele arriscaria a sua vida. Curiosamente, a negação da individualidade é condição essencial para a valorização da mesma. O indivíduo que morre por um bem universal encarna esse universal. Só isso pode ser o fundamento da ética ou da moral, o resto é conversa fiada. Você vale aquilo que você é. A medida do quanto você ama é o quanto você se sacrifica. Se o que você ama é um carro importado ou uma dose de cocaína, então você vale apenas isso”.

(Da apostila ”Edmund Husserl contra o psicologismo”)

Eu não tenho a minha ideia, mas respeito a sua.

Hoje em dia as pessoas dizem: não, eu tenho a minha ideia, mas respeito a sua. Não! Se eu tenho a minha ideia precisamente é porque não respeito a sua. Se eu não acho que a minha ideia é melhor que a sua, por que que eu quero a minha ideia? Ter uma ideia é achar que ela é melhor que a outra, ou não? Como é possível eu ter uma ideia, se eu acho que ela é igualzinha a ideia contrária, vale tanto quanto a ideia contrária. Se eu acho que duas idéias valem a mesma coisa, então eu não acredito em nenhuma delas, ou é porque estou em dúvida. Então, todo sujeito que diz: eu tenho a minha ideia, mas respeito a sua, é um hipócrita. Eu respeito O SEU DIREITO em dizer a besteira que você quer, mas eu acho que tenho razão e você está errado. Isto é a sinceridade.

Tímido por natureza

Nunca fui tímido por natureza, mas entre os vinte e os vinte e poucos anos tive um período de timidez porque estava com todos os dentes estragados, não tinha dinheiro para consertá-los, parecia um mendigo e julgava que a coisa mais sensata a fazer com a minha cara era escondê-la. Por isso compreendo perfeitamente o fenômeno da timidez Ela tira você da corrente da vida e o espreme num canto escuro onde tudo só acontece em pensamento e nada se realiza. Ela esmigalha oportunidades como se fossem minhocas em que você pisa no caminho. Ela afasta você do que você quer e povoa a sua vida de tudo o que você não quer. Da timidez à depressão e da depressão ao ressentimento o caminho é bem curto. Os tímidos estão entre os alimentos preferidos do diabo. Ele os mastiga como chicletes e joga fora a borrachinha insossa que sobra no fim. Se você tem a tentação da timidez, largue disso imediatamente. Comece a fazer tudo o que você teme que vai cobri-lo de ridículo. É melhor pagar mico do que ser um mico.