Guru teu cu

Notas:

[1] (True Outspeak) BlogTalkRadio

[2] Olavo de Cavalho: Notas das redes sociais reunidas – Momentos inesquecíveis

[3] Resposta solicitada pelo Sr. Ronaldo Schlichting

[4] Gueto Frigideira entrevista Renato Pompeu no enxurrada.com.br 

[5] Idem, Alto astral: Já se faz horóscopo até por computador. Revista Veja, 9 de abril de 1980, página 68,  Nos anos 1980, a seita “Tradição”, extorquia em dólares, virava caso de polícia, como mostrou “O Estado de S. Paulo”, em 10 de janeiro de 1986. Clique para ver o documento.

[6] Central Nacional de Astrologia: Juan Alfredo César Müller

[7] CAIRUS, José Antônio Teófilo. Jihad, Cativeiro e Redenção: escravidão, resistência e irmandade, Sudão Central e Bahia, 1835. Orientador: Manolo Garcia Florentino. Rio de Janeiro: UFRJ/ IFCS, 2002.

[8] acervo.estadao.com.br

[9] Notícias de Boituva: Acervo do advogado Fausto Thame é doado para Biblioteca Municipal

[10] The Guardian: Obituary – Martin Lings

[11] Olavo de Carvalho: Notas das redes sociais reunidas (30/1/2017)

[12] Toledo Blade, 16 de outubro de 1991 – Google Books; Peter Lamborn Wilson. Sacred Drift – Essays on the Margins of Islam. City Light Books, 1996. PDF

[13] O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) concede o registro profissional a 14 categorias: Artista e Técnico em Espetáculos de Diversões; Arquivista e Técnico em Arquivo; Atuário, Guardador e Lavador de Veículos; Jornalista; Publicitário e Agenciador de Propaganda; Radialista; Secretário e Técnico em Secretariado; Técnico de Segurança do Trabalho; e Sociólogo.

[14] Ação Penal contra Olavo de Carvalho (Google Drive PDF)

[15] PATSCHIKI, Lucas. Marechal Cândido Rondon: Programa de Pós-Graduação em História UNIOESTE, 2012. (PDF)

[16] BRAJA, Luísa Roxo. A face obscura da política: governo e eleições no MídiaSem Máscara. Aurora. Revista de Arte, Mídia e Política. n. 4 (2009). ISSN 1982-6672. (PDF)

[17] Baguete: Quem financia o astrólogo? (27 de janeiro de 2008)

[18] DCM: Como a Veja se tornou uma olavete (5 de janeiro de 2014)

[19] Prometheo Liberto: A explicação para certas notícias faltantes na imprensa brasileira; Olavo de Carvalho: Entenda o conflito Israel X Palestina (vídeo Youtube)

[20] Recado aos judeus: Olavo de Carvalho, O Globo, 20 de março de 2004

[21] To Eliminate the Opiate (volume I) e To Eliminate the Opiate (volume II)

[22] Visão Judaica, Olavo de Carvalho, n. 25, agosto de 2004

[23] Olavo de Carvalho | Não existe guerra entre Israel e Palestina (Vídeo Youtube)

[24] BBC Brasil: Olavo de Carvalho, o ‘parteiro’ da nova direita que diz ter dado à luz flores e lacraias

[25] Psicopatas ocultos e inversos. Agência de Notícias de Direitos Animais.

[26] Secretaria-Geral do Exército – PORTARIA Nº 391, DE 21 DE JULHO DE 1999. Medalha do Pacificador – outorga.

[27] Poder Legislativo: Dep. Flávio Bolsonaro (30 de novembro de 2011). Projeto de Resolução Nº 536/2011. JusBrasil (3 páginas). Projeto de Resolução Nº 536/2011 concede a Medalha Tiradentes e o respectivo diploma ao filósofo, escritor, jornalista e conferencista Olavo Luiz Pimentel de Carvalho. (…) Foi homenageado com a Medalha do Pacificador, Medalha Mérito Santos Dumont, Comendador da (Ordem Nacional do Mérito da Romênia) e Primeiro Prêmio em concurso de ensaios sobre história islâmica instituído pela Embaixada do Reino da Arábia Saudita.

[28] Decorationsand Certificates. Web.archives (PDF)

[29] Medalhas acima citadas.

[30] Prometheo Liberto: O processo que o Sr. Olavo de Carvalho, ou Sidi Muhammad, deseja esconder do público recorrendo aos seus amigos maçons na Câmara dos Deputados.

[31] link direto da postagem no Facebook

[32] Prometheo Liberto: Sexo, Sufismo e Mentiras: Quando Olavo é Traído por Sidi

Artigo original adaptado de Metapedia.

Anti-Olavismo e o vento

Atacar o olavismo, é a mesma coisa que esmurrar o vento. O olavismo existe apenas enquanto metáfora para uma influência cultural difusa e não enquanto uma doutrina coesa e, muito menos, enquanto uma estrutura sociológica.

O curioso disso é que, embora o olavismo não exista enquanto movimento sociológico, estou cada vez mais convencido que o anti-olavismo é algo que existe concretamente. Existe uma comunidade crescente de pessoas que estão aliadas no esforço de esmurrar o vento.

@lucasmafaldo

15.1.2020

O Bloomberg gasta muito dinheiro na propaganda, mas aquela voz de Randolfe não ajuda muito.

Bernie é doido mesmo:

Qualquer idiota que diga “Gosto do OIavo mas ele é muito radical” adquire, com isso a fama de sábio iluminado.

Posar de moderadinho, no Brasil, eleva o cidadão às alturas de um Aristóteles.

Aceitar a penetração da Huawei no Brasil só para não ser chamado de puxa-saco do Trump é elevar a vaidade a alturas estratosféricas.

QI deles e nosso:

O desastre do QI nacional é culpa de TODOS os governos que reduzem a inteligência humana a instrumento de programas políticos e econômicos em vez de respeitá-la como um bem espiritual primordial.

“Educação para o desenvolvimento”, “Educação para a democracia”, “Educação para a diversidade” etc. etc. Tudo isso, senhores ministros e professores, É A PUTA QUE OS PARIU.

Quando esses que se dizem educadores vão entender, caralho, que as capacidades intelectuais das crianças não são “meios” nem “instrumentos” para a realização de quaisquer “metas” escolhidas por governantes ou empresários, mas a FINALIDADE SUPREMA E ÚNICA DA EDUCAÇÃO?

O marxistinha tem razão ao dizer que a intervenção do Estado no mercado não é uma doutrina de Karl Marx, mas só uma incultura histórica formidável pode ignorar que mil vezes ela foi o instrumento tático principal do movimento comunista, portanto do marxismo no sentido histórico-concreto e não meramente livresco do termo.

https://acton.org/pub/commentary/2018/11/21/intellectual-maverick-behind-brazils-conservative-wave?fbclid=IwAR1zic_TXHvwQyccQ0FWP-TNNdkjGDbzKo7F8xCuCpfVN_ThRQpt1GuMfJU

O eruditinho da “Orientação Marxista” acerta em muita coisa, mas às vezes caga fora do penico.
Negar que Marx visse o socialismo como a desembocadura inevitável do curso da história capitalista é TRAPAÇA,

Um dos problemas mais cabeludos do marxismo é que ele é, em iguais medidas, o pensamento do próprio Marx tal como aparece nos seus textos e uma tradição vastíssima e variada que se define e redefine continuamente na práxis. Pior, como para Marx a verdade está eminentemente na práxis, o intérprete não pode alegar o texto de Marx como argumento contra o marxismo historicamente desenvolvido na práxis. As obras de Marx não são, para o marxista sério, um texto sagrado apto a jukgar a práxis, mas apenas um momento inaugural da mesma práxis, continuamente julgado e corrigido por ela. Isso não é coisa para jovens.

Como diz o Edson Camargo, o único lugar do Brasil onde se pode aprender marxismo a sério são os cursos deste monstro reacionário.

Marxismo não é texto sagrado. O Evangelho julga antecipadamente o curso da História da Igreja. Os textos de Marx são julgados pelo curso da história do movimento comunista. Julgados, ampliados, corrigidos, e frequentemente condenados.

Também segundo o Edson Camargo: Os comunistas emburrecem o país inteiro, aí tem de vir o Olavo restaurar a inteligência até dos próprios comunistas.

Vocês já repararam na diferença abissal entre o que eu escrevo e o que por aí se escreve a meu respeito?

O problema de quase todos os liberais e pragmatistas é que eles têm uma visão simplória e depreciativa do marxismo, baseada em puro compexo Dunning-Kruger,

Os liberais são mil vezes mais economicistas do que qualquer marxista. Sabem fazer dinheiro, mas não sabem nem proteger o próprio cu.

A direita idiota ri, mas é com essas coisas que a cultura comunista vai penetrando até nos mais discretos setores da vida humana, dominando tudo :

http://www.petcidade.com.br/categoria/agenda-pet/?fbclid=IwAR3bqhlWuRCakO2cdQDAOrpy1txIv6O6wqNmlIB9ov4TGVoRyHWK9HyJvCM

O filósofo da práxis não pode alegar a letra da sua doutrina como argumento contra a práxis que modificou essa doutrina para trasmutar a mera interpretação em real transformação. Alegar Marx contra Stalin é tentar esconder que, sem Stalin, Marx teria sido enterrado com Lênin.

O marxismo não é “a filosofia de Marx”. É a METAMORFOSE AMBULANTE, ou império da práxis, que o filósofo polonês Kolakowski descreveu em “Main Currents of Marxism”.

Se uma idéia qualquer se integrou por algum tempo na estratégia maior do movimento comunista mundial, é criancice alegar que, estando ausente dos textos de Marx, ela não faz parte do marxismo.

14.1.2020

O eruditinho monoglota que humilha o Cocô e o Vil (proeza intelectual que nada tem de admirável, já que equivale a bater em crianças), estudou bastante Marx, mas não tem cultura suficiente para perceber o ridículo de excluir do “marxismo” tudo o que não tenha respaldo literal nos textos do próprio Marx. O marxismo não é “o pensamento de Karl Marx”, muito menos “a obra escrita de Karl Marx”, mas uma longa e complexa tradição vivente que se autodefine no curso da práxis e se redefine tantas vezes quantas bem lhe interesse. A flexibilidade dialética do marxismo não hesita, quando lhe convém, em absorver hoje o que ontem renegava e amanhã voltará a renegar. O protecionismo e as políticas estatistas são exemplo característico: Entram e saem da tradição marxista, conforme as conveniências do momento, cagando e andando para a opinião do falecido Marx. Já citei mil vezes o caso de Ernesto Laclau, o gostosão do marxismo recente, que, como quem não quer nada, joga no lixo a teoria marxista da “ideologia de classe”, afirmando, nada mais, nada menos, que a propaganda comunista CRIA a classe que depois ela diz representar. Sugiro ao garoto que complete sua auto-intoxicação marxista com o roteiro de estudos que forneci no artigo “Estudar antes de falar”. Não faço a mesma sugestão a Cocô e Vil porque falar sem estudar porra nenhuma é a profissão deles.

O jovem comunistinha tem futuro, porque estuda. O Cocô e o Vil não têm nem passado, nem futuro.

A frase da semana:
“O Pondé não faz sexo, faz sexualidade.” (Rubens Enderle)

Eis a violência homofóbica do governo Bolsonaro:

https://observatoriog.bol.uol.com.br/noticias/2020/01/assassinatos-de-trans-e-travestis-caem-245-no-brasil?fbclid=IwAR2kJNWtwRWyFIVkmttOx9yq-ynzJojMk_zHkpmduwssX2rlbl4o6uCK9Qo

https://g1.globo.com/pop-arte/blog/luciano-trigo/post/2020/01/13/a-segunda-morte-de-roger-scruton.ghtml?fbclid=IwAR3xfNXKtRokUbg-uAZFjOQMLGqE3f30LVqSNO-CdFTT-teuFs9bgpYnX1g

Recordar é viver. Em resposta àqueles criminosos que continuam espalhando a lenda (invenção do esquizofrênico Renato Pompeu), segundo a qual nos anos 70 me evadi do Instituto de Psiquiatria Comunitária sem alta médica, nada melhor do que reproduzir aqui a mensagem que em 2018 recebi do diretor daquela instituição, Dr. Juarez Strachmann:
By the way, não entendo por que precisaria fugir, já que, como paciente-atendente, tinha a chave do hospital.

https://brasilsemmedo.com/em-2019-violencia-anticrista-bateu-recorde-na-europa/?fbclid=IwAR2GxSFxyWKTEcgiUcAnw8Zg-dvgxtrDke22L6uCevaGDEZuCcR-IPoz3UE

Perguntar não ofende: Se os anjos do céu podem ensinar aos pregadores brasileiros tantas línguas desconhecidas, por que não podem lhes ensinar também a simples e correta língua portuguesa?

Uma das coisas que mais me impressionam na cultura moderna é o número imenso de psicólogos, psiquiatras, terapeutas e outros acadêmicos “profissionais da saúde mental” que pretendem curar a humanidade inteira de uma neurose ou psicose supostamente universal.
A mim, ao contrário, a humanidade jamais pareceu louca, mas, com frequência, os acadêmicos sim.

“Quod ubique, quod semper, quod ab omnibus creditum est.” No tempo em que os sábios não eram nem funcionários públicos nem apadrinhados de fundações bilionárias, cada um deles sabia que a unanimidade da opinião humana era, se não um critério de veracidade, ao menos um forte indício de racionalidade e probabilidade. No mundo moderno, ao contrário, a zé-lite acadêmica acha que todo mundo é louco ou burro, menos ela.

13.1.2020

Recordar é viver. Modesta homenagem a Roger Scruton:

Li isto num dos blogs mais entojados da pseudo-intelectualidade marxista. Ele demonstra como a estratégia monstruosamente errada do Escola Sem Partido deu aos supremos censores e controladores do pensamento alheio a chance de fazer-se de vítimas, tomando uma mera hipótese futura como realidade consumada. NÃO FOI POR FALTA DE AVISO.

Estou com o saco cheio de ter de discutir com pessoas que descobriram na semana passada um assunto que estou estudando há meio século.

O problema do brasileiro é insensibilidade anal. Toma no cu e nem percebe.

Na comédia que vou escrever com a devida autorização do SeTeFê, os papéis principais serão do Fruta e do Zé de Abreu.

A principal ocupação da direita nacional é levantar a bundinha para a esquerda chutar.

ALÔ, DIREITISTA: O LULA ESTÁ SOLTO, BABACA.

Isso, conservinhas: Confiem a defesa da sua causa a tipos como Marco Antonio Vil e Rodrigo Cocô e acabarão levando surras homéricas de qualquer esquerdista capaz de ler livros:

Só um completo anarfa pode falar da civilização iraniana em tom de desprezo olímpico. O Irã tem mais e melhores filósofos do que muitos países da Europa.

Tenho toda paciência do mundo com principiantes bem intencionados, mas NENHUMA com farsantes intelectuais de todos os partidos. Com esses é TOLERÂNCIA ZERO.

O sujeito que argumenta usando chavões obtém facilmente a aprovação da platéia inculta, mas, quando encontra um adversário estudioso, se funhanha de verde, amarelo, azul e branco.

Há tempos venho dizendo que a luta contra a dominação comunista do sistema de ensino tem de começar por uma pesquisa séria e bem documentada que demonstre a exclusão sistemática de toda opinião anticomunista nas teses universitárias, a sementeira onde se forma cada nova geração de professores.
Foi como falar com um porco-espinho bêbado. Até hoje essa pesquisa não existe nem como projeto.

A esquerda me chama de guru da direita para fazer de mim um tipo folclórico. A direita aceita a denominação para poder me usar de boi-de-piranha.
Para todos os lados, o ambiente moral do Brasil é podre.

A pedofilia, no Brasil, é mais respeitada e protegida que o cristianismo:

https://m.tecmundo.com.br/redes-sociais/149179-pedofilos-discutir-twitter-atracao-criancas.htm?fbclid=IwAR1jVRbzftpvEHFtqYBP9XyyvBQcA26NwYxRV0WbnruZYVVz458dhrJEKyo

Artigo esplêndido — o que de melhor se escreveu sobre Roger Scruton no Brasil:

https://brasilsemmedo.com/o-reinado-de-roger-scruton/?fbclid=IwAR30qXfmSXNTCKRjpKZa5JYAkpsPrSR0u8Zva7u6yNI_l9N-CJEgC4mEUbE

https://www.sympla.com.br/i-forum-dos-conservadores__751271?fbclid=IwAR2rZfQ14Mz2g9QipVs0qwCFATRgSC2U6NMjOM_TZYdXVFoN22ECJXG8IV8

12.1.2020

A proteção total ao crime e aos criminosos é a ÚNICA função do judiciário e do legislativo no Brasil.

https://www.nacaojuridica.com.br/noticias/6165/policias_param_de_divulgar_nomes_e_fotos_de_presos_apos_lei_de_abuso_de_autoridade_entrar_em_vigor?fbclid=IwAR0kjXtyPzDp-Ydzu6bFzy3Zj7fxjp1IjU_–sxaLu3Stzp1TpkIUzLdzic

Recordando. É esclarecedor:

https://www.opiniaocritica.com.br/noticia/1097/geracao-paulo-freire-exposicao-o-lcu-e-lindor-na-ufba-explica-o-resultado-no-pisa?fbclid=IwAR1P1rtapTeDuVH69iFPuoKL8Ld8mPJotWMPmSGAiO1X8AgQT7GUsewIN_A

https://www.gazetadopovo.com.br/republica/banco-de-dna-condenados-retirado-pacote-anticrime-consequencias/?fbclid=IwAR1e_LdKcVlLLTR5BENFzHzjG8Ec-XBqLb7SLG18bm_rufT8qOUbTF1yNuk

Próximo ato do genocídio cultural anticristão:

https://www.churchmilitant.com/news/article/epidemic-of-crib-vandalism-hits-italy?fbclid=IwAR3v-pwcjsi-nvXS8FbXB-N9dHw0N1IrCBSv4POurrkVbR-rxwhcUxyM7Bc

Consulta ao SeTeFê: Posso escrever o roteiro de uma comédia em que o Toffonhonho aparece chupando a pica do Lula?

Até quando o governo vai continuar tentando se persuadir a si mesmo de que é possível uma respeitosa concorrência democrática com organizações de assassinos e narcotraficantes?

O projeto mais bem sucedido da história política nacional foi o do Caggad: dar poder político ao Lumpenproletariado. Hoje a mentalidade reinante em toda a classe política, nas universidades, na mídia e no sistema judiciário é CEM POR CENTO LUMPENPROLETÁRIA.
Vencer uma eleição presidencial, perto disso, é NADA.

A política brasileira, no sentido mais geral e extenso do termo, é apenas um CONCURSO DE CRIMES.

11.1.2020

Brasileiros adoram “tomar posição” a favor ou contra idéias gerais — censura, liberdade de expressão, democracia, etc. — e acham que isso é “pensar”. POR ISSO MESMO não têm a menor capacidade de analisar situações reais concretas.

Ninguém parece perceber a diferença entre escarnecer de uma religião dominante e de uma religião perseguida, ameaçada. Na Idade Média os foliões carnavalescos faziam paródias do rito eucarístico nos próprios altares das igrejas, e ninguém via nisso nada de mais. Será a mesma coisa num século em que a religião está excluída do debate cultural e em que matar cristãos já não escandaliza a ninguém? Discutir, em abstrato, se “a” religião pode ou não ser objeto de piada é coisa de idiota.

Mais idiota ainda é discutir “censura” em abstrato. Piadas de gays são atos criminosos de “discriminação”. Por que não o seria também o escárnio anti-religioso, se a violência contra a religião ultrapassa infinitamente, em quantidade e gravidade, os casos de agressões a gays?

QUALQUER debate público no Brasil só serve para uma coisa: para mostrar os efeitos nefastos do socioconstrutivismo.

Os que ostentam posição contra a “censura” nunca disseram UMA PALAVRA contra a TOTAL exclusão da opinião cristã na grande mídia e na educação.
Só enxergam a censura quando lhes dá a ocasião de fazer bonito ante a platéia esquerdista.

Assistam à conferência do Pedro Augusto (v. abaixo) e entenderão o que é a verdadeira censura vigente no Brasil há anos.

Por meio da militância instalada em todos os postos principais da mídia e do sistema de ensino, a esquerda proíbe, condena ao total silêncio TUDO o que lhe parece desagradável. É a censura mais vasta e eficiente, que proibe até a divulgação da sua própria existência. Os cristãos não fazem esse jogo sujo contra ninguém; seu único meio de defesa é recorrer à Justiça, mas, quando fazem isso UMA ÚNICA VEZ, são acusados de praticar a CENSURA.
José Nêumanne Pinto e Josias Teófilo, entre outros que de esquerdistas não têm nada, acabam ajudando a esquerda porque julgam palavras, não situações reais. Não condenam a censura verdadeira, mas só aquilo que na linguagem dominante — esquerdista — leva declaradamente esse nome.
O verbalismo brasileiro não consiste em falar muito, mas em confundir palavras com coisas.

A palavra “censura” evoca algo de repugnante, por isso mesmo a esquerda pratica uma censura sem esse nome e mil vezes mais opressiva, contra a qual os apóstolos da “liberdade de expressão” não sabem dizer uma palavrinha sequer.

Porra, Josias, não me obrigue a lhe dar esporros em público.

Por que os apóstolos da “liberdade de expressão”, tão revoltadinhos contra a “censura” no caso de um espetáculo de merda, não dão sequer o menor sinal de haver notado que a minha palavra foi cassada EM TODA A GRANDE MÍDIA NACIONAL?

Por que só a proibição oficial e judicial de um espetáculo leva o nome de “censura”? Com que direito e razão negam a mesma denominação ao veto de palavras e opiniões pelos comitês políticos que dominam as redações?

By the way, o que foi proibido no caso Porta dos Fundos não foi “um espetáculo de humor”, e sim uma violação ostensiva do Art. 208 do Código Penal. O Toffonhonho não sabe disso porque nunca leu o Código Penal.

O problema não é saber se você é mais direitista ou menos direitista. É saber por quanto tempo você aguenta ser odiado pelos esquerdistas sem tentar seduzi-los por um afaguinho barato.

O Carlos Vereza não é nem nunca foi direitista, mas já provou que está cagando e andando para as afeições esquerdistas.

Recordar é viver. Ouçam e aprendam:

Bruno Mendes
4 h
Este post é o mais importante que escrevi desde o início da querela Porta dos Fundos:

No nosso primeiro post a respeito da decisão da juíza em primeira instância, bem como no agravo para o desembargador deixamos claro que o fim último desse escárnio a fé católica é o EXTERMÍNIO FÍSICO dos católicos.

Diz uma parte do item 3.2 do nosso agravo feito no dia 20 de dezembro:

“Assim agindo, fazem mais do que simplesmente ofender os católicos e cristãos, conduta já de si desprezível e juridicamente inadmissível. Expõem-nos à irrisão pública, antecâmara de agressões e males ainda maiores, incluindo o extermínio físico.
(…)
Muito antes da hedionda “solução final”, os judeus já eram vilipendiados em suas crenças e valores, numa Europa que aprendera a desprezá-los. O mesmo se deu na União Soviética, com os alvos do regime bolchevique, qualificados como “insetos” antes de serem esmagados nas prisões do Gulag
(…)
A votação ao desprezo público, à galhofa, ao escárnio, de todo um grupo em razão de sua fé e crenças religiosas constitui sim, a par de uma ofensa à dignidade humana dos integrantes desse grupo, discurso de ódio, na medida em que incita, no corpo social, o vilipêndio àquele grupo. E não se venha com a balela de que a maioria de um povo não está ameaçada. Movimentos totalitários nascem, sempre e necessariamente, de minorias, que, pouco a pouco, vão manipulando a opinião pública, a cultura, os sentimentos de uma nação, até a aliciar e subordinar a seus intentos inconfessáveis. A Igreja que durante o terror revolucionário foi perseguida, cujos templos foram queimados e postos abaixo, cujos sacerdotes foram decapitados, era a mãe e mestra da França, a primeira entre as nações católicas; a religião que foi emasculada ou proibida na Rússia bolchevique era a religião comum do povo russo; ainda agora assistimos ao incêndio e à destruição de igrejas no Chile.
Antes das ações físicas, como tudo o que é humano, vem a preparação do espírito, a predisposição da vontade, que se alcançam precisamente através do discurso público, esteja ele, ou não, travestido de arte”

Segundo o Toffonhonho e similares, homofobia é crime, cristofobia é liberdade de expressão.

Atenção: Hoje, 11 de janeiro, NÃO HAVERÁ AULA DO C.O.F.
Encontrarei vocês no próximo sábado.
Obrigado

Recordar é viver:

10.1.2020

Qualquer piadinha de gay é crime, mas o escárnio ostensivo ao cristianismo é prática honrada e legítima protegida pelo STF.

Se isso não é genocídio cultural, o Toffoli é a mãe do Nhonho.

Para ocupar todos os espaços e apropriar-se de todos os meios de ação, a esquerda levou meio século de esforços constantes subsidiados por centenas de organismos multibilionários. Se a direita achou mesmo que podia reverter tudo isso mediante três meses da campanha eleitoral mais barata da História, louca é ela, não a esquerda.

A eleição do Bolsonaro NÃO foi uma vitória. Foi, na mais otimista das hipóteses, o começo da guerra.

Esperar que a Fôia revele qual a verdadeira popularidade do presidente é como pedir que um jacaré recite Homero em grego.

Tem neguim que atribui a si mesmo o mérito de tudo o que lhe ensinei e lança em mim a culpa de tudo o que entendeu errado.

No Brasil, gratidão é puxassaquismo e ingratidão é heróica independência.

Recordar é viver: Conferência INDISPENSÁVEL.

Bravo, Prof. Bellei:

9.1.2020

Não tenho a menor capacidade para arbitrar o debate de terraplanistas e bolistas, mas não posso deixar de notar, entre estes últimos, a abundância de caretas de desprezo e sorrisinhos de deboche que me parecem antes recursos de autodefesa pueril do que sinais de verdadeira superioridade intelectual.

O Nando Moura me oferece lições de olavismo com uma pose de superioridade que raia o sublime.

Às vezes tenho a impressão de que neste artigo já expressei a quintessência da nossa classe falante:

http://old.olavodecarvalho.org/textos/bicho.htm?fbclid=IwAR1EBaDYb9o7WB7NzTIDmc3vOvO5sm8qvAT8vyosTO7zQ1UtO64j8TLH_YA

Mastim Vaca, Henry Bucetalho, Rodrigo Cocô Instantâneo, Kim Katapiroka, Enganando Moura e similares não são más pessoas: são apenas vítimas do socioconstrutivismo.

Bernardo Pires Küster Recordar é viver, prof. https://youtu.be/GxJgQJa9Dq4

Perdida em abstratismos jurídicos (“limites da liberdade”, “censura versus direitos da arte”, etc.), TODA a discussão do caso Porta dos Fundos é apenas um sintoma da loucura brasileira. O ÚNICO ponto que interessa é sistematicamente ignorado: o cristianismo não é uma comunidade religiosa como qualquer outra, é, por excelência, a comunidade vítima de genocídio nos dias atuais. Não se trata, portanto, de uma genérica “ofensa a culto religioso”, mas de um ato característico de GENOCÍDIO CULTURAL, preparatório do genocídio “stricto sensu”. É absurdo discutir o caso sem nem mencionar esse aspecto.

Negar ao cristianismo a proteção jurídica que se concede a práticas homossexuais é OBVIAMENTE um ato de GENOCÍDIO CULTURAL, pelo qual acuso, sem meias palavras, o sr. Toffonhonho.