17.9.2018

Nem por um segundo me passou pela cabeça a idéia de que o Yago Martins fosse malicioso ou desonesto. Ele apenas lê muito mal. O que escrevi a respeito depõe menos contra ele do que contra o ensino universitário brasileiro, de teologia ou de qualquer outra coisa, que infunde no estudante inculto e despreparado um falso sentimento de segurança baseado no seu diploma e na aprovação dos pares. A rigor, o estudante que escreve “bucho” com “x” e “fralda” com “u” não poderia ser aprovado no vestibular, quanto mais sair da faculdade com canudo na mão e certezas absurdas na cabeça.

https://blogdoolavo.com/atenuante/

O método brasileiro de leitura consiste em impressionar-se positiva ou negativamente com algumas palavras e enxergar nelas o sentido do texto; ou em adivinhar esse sentido por meio de conjeturas sobre as ligações do autor com grupos, partidos e interesses que ele na maior parte dos casos desconhece.

Os yaguettes reagiram à minha resposta de duas maneiras: (1) ignorando o seu conteúdo e repetindo incansavelmente o mantra: “Você foi refutado. Confesse”; (2) mudando de assunto e trazendo à baila tudo quanto lhes ocorresse no momento contra a Igreja Católica: as fogueiras da Inquisição, a Noite de São Bartolomeu, o culto dos Santos, o culto de Nossa Senhora, etc. etc. etc.

Por que, no Brasil, errar é um dever de humildade? Supondo-se que um cidadão acertasse sempre, isso não faria dele nem um deus, nem um gênio, apenas um bom observador da realidade.

Paulo Bastos Professor Olavo, como posso desejar ardentemente a Salvação, sem saber em que ela consiste? Substancialmente. Todos que escuto se referem à Salvação pelos seus aspectos adjetivos.

Não creio que imaginar uma vida eterna esteja ao nosso alcance. Mas, com certeza, podemos imaginar o reencontro com os nossos entes queridos. Tamb;em sugiro que você leia os depoimentos do Colton Burpo e da Erica Mackenzie.

Quando um sujeito acerta sempre, ou quase sempre, ou com muita freqüência, isso só quer dizer que ele guardou para si mesmo as opiniões erradas que lhe passaram pela cabeça.

Quando Deus infunde verdades de ouro na mente de um homem simples, Ele não permite que as escreva numa língua de chumbo.

A maior parte dos yaguettes não consegue sequer distinguir entre erros de digitação e erros de ortografia. Um deles até apela à desculpa de que está digitando “abordo” de um trem.

Uma prova cabal do analfabetismo funcional endêmico entre os yaguettes que me enviaram mensagens é que TODOS, sem exceção, entenderam a minha conversa com o Yago como uma polêmica catoloicismo versus protestantismo, sem reparar que nem eu disse uma palavra a favor do catoliciamo nem ele disse uma contra. É IMPOSSíVEL a essa gente entender o que lê em vez de saltar para um confronto geral entre torcidas. Bando de animais.

Para mim, é óbvio que, na resposta ao Yago, não discuti “protestantismo”, mas apenas os argumentos do meu opositor, demonstrando que eram confusos, autocontraditórios e baseados em citações truncadas.
Como, em resposta, dezenas de yaguettes começaram a alegar tudo o que sabiam ou pensavam contra a Igreja Católica, como se isso tivesse algo a ver com o caso, só posso concluir que esses milhares de palpipeiros não são um rebanho de fiéis, mas de vacas.

Se eu mesmo, citando aliás o Antonio Gramsci, afirmo que é desonesto alguém achar que refutou uma doutrina porque demoliu os argumentos capengas de um seu porta-voz inepto, como poderia eu achar que refutei o protestantismo só porque desmantelei o falatório de um analfabeto funcional?

Também os professores de humildade não repararam nem mesmo que quem entrou na conversa se gabando de altas qualificações eruditas (aliás inexistentes) não fui eu, mas o meu humilde opositor.
Só posso concluir que “o Olavo é arrogante e o Yago é humilde” é matéria de fé, imune ao testemunho dos fatos.

A repetição uniforme de mantras difamatórios caracteriza inconfundivelmente a campanha de assassinato de reputação. Quem assim se comporta não está numa disputa de idéias, e sim numa disputa de público.

Alguns autoconstituídos “líderes evangélicos”, da estatura moral do Julio Soumzero, devem estar aterrorizados com o número crescente de seus fiéis que me lêem e apreciam. Temendo perder a liderança — como se eu a estivesse disputando –, mobilizam então a massa para repetir slogans difamatórios,

*

Daqui a pouco.

42106091_10156584752277192_3298622483480969216_n.jpg

Anúncios

Um comentário sobre “17.9.2018

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s