31.12.2017

O burguês nada despreza tanto quanto à pobreza, que ao cristão, pelo contrário, inspira uma espécie de temor reverencial como imagem fiel da condição humana inteira. Não foi à toa que a Igreja fez dela uma obrigação sacerdotal. Desprovido da fé cristã, o pobre sente vergonha de não ser um burguês, e, quando não consegue tornar-se um por suas próprias forças, se apega às promessas do socialismo. Se essas promessas sempre falham, não é porque sejam traídas no caminho. É porque são, desde a base e a origem, uma farsa macabra: ninguém pode libertar o oprimido começando por escravizá-lo à escala de valores do opressor.

Tiago Barreira Não há riscos de com isso, cairmos no problema contrário: ao invés da vergonha da pobreza, o orgulho?
Olavo de Carvalho Tiago Barreira Mas não temos um Jacob Wassermann para descrever essa síndrome.

Quando Sto. Agostinho diz que as virtudes são feitas da mesma matéria que os vícios, isso quer dizer que só nos livramos dos vícios quando, em vez de lutar em vão para eliminá-los, os transfiguramos em virtudes pelo poder da oração. A brutalidade pode transformar-se em auto-sacrifício heróico, a sensualidade em culto da beleza e da bondade.

No primeiro volume da trilogia de Jacob Wassermann, o jovem Etzel Andergast, para corrigir um erro judiciário, destrói a vida do próprio pai. O leitor fica com a impressão amarga de que há um erro trágico no fundo do senso de justiça. No segundo volume, o erro latente se mostra à plena luz do dia, quando Etzel cai de herói para patife, comendo a mulher do seu melhor amigo e mestre e dando covardemente no pé. No terceiro, o marido corneado, Joseph Kerkhoven, passa por uma metanóia, reencontra o sentido da vida por meio do perdão e atinge o cume da sabedoria. A obra mais cristã da literatura alemã foi escrita por um judeu.

*

Momento do consumidor: Eu pensava que a melhor garrafa térmica do mundo era a japonesa Zojirushi, mas a americana Coleman dá nela de dez a zero.

*

A resposta ao mesmo tempo ofensiva, sentimentalóide e mentirosa do Paulo Roberto de Almeida só prova uma coisa: o antipetismo é o primeiro e mais fácil refúgio dos incapazes.

Paulo Roberto de Almeida vende geladeiras mediante o argumento de que geladeiras não existem.

Se o globalismo não existe, a defesa das soberanias nacionais não pode lhe fazer mal nenhum, não é mesmo?

O mais safado artifício verbal do Paulo Roberto de Almeida é usar a palavra “globalismo” no sentido de “resistência ao globalismo”. A quem ele espera enganar com esse truque pueril?

O Paulo Roberto de Almeida carimba de mero falatório ideológico todos os livros que ele não leu.

A indecisão, que na vida prática é um vício debilitante, pode ser na vida intelectual a raiz de muitas virtudes: prudência, abstinência de juízos precipitados, integridade. Se você é indeciso, desenvolva-se intelectualmente no estudo de questões difíceis e sua indecisão acabará se transferindo da esfera prática para um lugar onde ela pode ser útil.

Garanto para vocês: o Paulo Roberto de Almeida não tem nem a mais mínima informação indispensável para discutir o assunto. A ignorância dele nessa área aproxima-se da perfeição.

Esse sujeito acha que meio século de influências e pressões da ONU sobre os programas educacionais de dezenas de países são “invencionices da direita”.
Ele fala do “politicamente correto” como se fosse uma mera esquisitice de esquerdistas, não um código imposto ostensivamente por toda a mídia, todo o sistema educacional e toda uma constelação de empresas e fundações bilionárias.
Não posso discutir com um primário que não sabe nem o quer quer dizer a palavra “fato”.

Ele até se faz de coitadinho porque a entrevista virou um debate sem aviso prévio. Uai, eu também não fui avisado e não estou choramingando.

Nunca vi tamanho esforço para limpar um cu de elefante com cotonete.

Lee Penn, no livro “False Dawn”, reproduz meticulosamente todos os documentos, relatórios e atas de assembléias que atestam pelo menos meio século de esforços da ONU e de vários grupos bilionários para criar uma religião biônica mundial, “humanista”, da qual o cristianismo se reduziria a uma etapa preparatória já superada.
Paulo Roberto de Almeida NEGA OS FATOS com cinismo exemplar, ao mesmo tempo que revela ser, ele próprio, um adepto ou agente do projeto “humanista” alegadamente inexistente, falando de Cristo como Ele se fosse um mero precursor… do Paulo Roberto de Almeida:
“Cristo representou avanços no humanismo, mas alguns cristãos transformaram certos valores em dogmas.”

Ele já começou o debate no Brasil Paralelo me chamando de paranóico, e agora, no seu arremedo de resposta, acrescenta novos insultos. Vejo-me, portanto, no direito de declarar em público que considero esse sujeito, que antes, por engano, eu tinha em alta conta, uma das mentes mais mesquinhas e desprezíveis que tenho encontrado.

Quem apela a carimbos ideológicos infamantes e, gabando-se de detentor dos fatos, não cita UM ÚNICO que fundamente as suas opiniões, não é um interlocutor qualificado, é apenas um ridículo “poster boy” fazendo jus ao seu salário.

O globalismo, como o PCC, o Foro de São Paulo e o Mensalão, é mais um exemplo da certeza apodíctica do Teorema de Picágoras: Toda piroca, tão logo entra, se torna invisível.

Jesus deu sua modesta contribuição e foi superado. Caminhou sobre as águas, mas Paulo Roberto de Almeida, como todo mundo deve ter observado, já caminha sobre os ares.

“Humanismo” e “dogma” são duas palavras de cujo significado o Paulo Roberto de Almeida não tem A MENOR IDÉIA.

Há pessoas que tentam dizer merda, mas não conseguem. Só sai peido.

O “modus arguendi” do Paulo Roberto Almeida é o mesmo do Maestro Bagos: em vez de contestar o que eu digo, fala mal de partidos e grupos ideológicos que me são totalmente alheios, e acredita que assim refutou os meus argumentos. O Imbecil Coletivo só discute com o Imbecil Coletivo, não com pessoas de carne e osso.

Contribuição do Ricardo De Almeida :

26173304_10155918897057192_7153294907298530939_o.jpg

*

À meia-noite, por sugestão da Meri, vamos estar rezando isto:

Te Deum

A Vós, ó Deus, louvamos e por Senhor nosso Vos confessamos.
A Vós, ó Eterno Pai, reverencia e adora toda a Terra.
A Vós, todos os Anjos, a Vós, os Céus e todas as Potestades;
A Vós, os Querubins e Serafins com incessantes vozes proclamam:
Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus dos Exércitos!
Os Céus e a Terra estão cheios da vossa glória e majestade.

A Vós, o glorioso coro dos Apóstolos,
A Vós, a respeitável assembleia dos Profetas,
A Vós, o brilhante exército dos mártires engrandece com louvores!
A Vós, Eterno Pai, Deus de imensa majestade,

Ao Vosso verdadeiro e único Filho, digno objecto das nossa a adorações,
Do mesmo modo ao Espírito Santo, nosso consolador e advogado.

Vós sois o Rei da Glória, ó meu Senhor Jesus Cristo!
Vós sois Filho sempiterno do vosso Pai Omnipotente!
Vós, para vos unirdes ao homem e o resgatardes
não Vos dignastes de entrar no casto seio duma Virgem!

Vós, vencedor do estímulo da morte,
abristes aos fiéis o Reino dos Céus,
Vós estais sentado à direita de Deus,
no glorioso trono do vosso Pai!
Nós cremos e confessamos firmemente
que de lá haveis de vir a julgar no fim do mundo.

A Vós portanto rogamos que socorrais os vossos servos
a quem remistes com o Vosso preciosíssimo Sangue.
Fazei que sejamos contados na eterna glória,
entre o número dos Vossos Santos.

Salvai, Senhor, o vosso povo e abençoai a vossa herança,
E regei-os e exaltai-os eternamente para maior glória vossa.
Todos os dias Vos bendizemos
E esperamos glorificar o vosso nome agora e por todos os séculos.
Dignai-Vos, Senhor, conservar-nos neste dia e sempre sem pecado.
Tende compaixão de nós, Senhor,
compadecei-Vos de nós, miseráveis.
Derramai sobre nós, Senhor, a vossa misericórdia,
pois em Vós colocamos toda a nossa esperança.
Em Vós, Senhor, esperei, não serei confundido.

 

Anúncios

30.12.2017

“Poder pessoal” é aquilo que alguém pode fazer por suas próprias forças, sem nenhum apoio externo. Um homem de verdade jamais fala mais grosso do que o seu poder pessoal.

*

A trilogia de Jacob Wassermann compõe-se de (1) 0 Processo Maurizius; (2) Etzel Andergast; (3) A Terceira Existência de Joseph Kerkhoven. Não sei por que, a tradução americana do segundo volume, em 1932, saiu com o título de “Doctor Kerkhoven”, confundindo os leitores.

P. S. O primeiro e o segundo volumes têm boas traduções brasileiras, já antigas.

*

Finalmente compreendi que a principal função dos advogados é traduzir tudo do idioma humano para o advoguês.

*

Coisas que estarão para sempre acima da minha compreensão:
1 – Leis tributárias.
2 – Regulamentos federais, estaduais, municipais e distritais de qualquer nação ou planeta.
3 – Manuais do usuário do que quer que seja.

*-

A perfeição dos direitos humanos, hoje em dia, consiste em não enxergar diferença entre um beijinho roubado e um estupro.

*

Flávio Lindolfo Sobral

Segundo meus cálculos, já são 773 horas, 58 minutos e 28 segundos de aulas do Curso Online de Filosofia, o famoso COF, do Olavo de Carvalho. Estamos na aula de número 412. Oito anos no ar completados em março deste ano de 2017. Se a alergia lhe oferecer uma trégua neste sábado, 30/12, o professor atingirá a marca de mais 775 horas de aulas.
Qual a importância destes números? Simples: quantas horas/aulas os críticos anti-olavo assistiram?
Já escutei de tudo: “é uma seita”, “é nada demais”, “é lixo”, “é enfadonho”, “eu já superei o Olavo”… Pergunte a estas alminhas: quantas horas/aulas do COF você assistiu? Se o indivíduo insistir que não é necessário assistir nenhuma aula para proferir sua crítica, mande-o tomar no cu logo. Não dê oportunidade de diálogo para desonesto. Se você acha que há outra forma de abordagem com gente que toma atitudes desonestas como estas, bem, a vida, a paciência e o tempo perdido são seus.

*

O principal empenho das elites intelectuais, políticas e econômicas do Ocidente, hoje em dia, consiste em perverter e reprimir os mais naturais e espontâneos sentimentos humanos e até as simples percepções sensoriais diretas até que desapareçam da memória coletiva e possam ser substituídos por quaisquer arranjos postiços ‘que sejam úteis ao controle social.
Em última análise, esse empreendimento macabro provém das mesmas organizações esotéricas que, baseadas numa doutrina dos ciclos jamais confirmada historicamente, condenam a decadência moderna e prometem para breve a restauração das tradições.

*

As mulheres nos romances de Jacob Wassermann são todas anjos, demônios ou idiotas perfeitas.

*

AVISO:Hoje, sábado, 30 de dezembro, NÃO HAVERÁ AULA DO COF. Não posso dar aula com a voz do Darth Vader. Feliz Ano Novo para todos. Voltamos à atividade normal no dia 6 de janeiro.

*

Não há provavelmente um só ser humano que não esteja insatisfeito e frustrado com alguma condição que não escolheu: com a sua estatura ou a cor da sua pele, com a família ou o sexo em que nasceu, com o tamanho do seu pinto ou do seu pé. Alimentar essas insatisfações é incompatível com a conquista da maturidade, mas hoje em dia o “establishment” não apenas as alimenta e estimula, como também espalha a crença de que alguém é culpado por essas frustrações e, para a felicidade geral, deve ser eliminado.

*

Para vocês verem como na minha família somos homofóbicos. Nas suas últimas semanas de vida, a amiga de cuja companhia minha mãe sentia mais falta era uma travequinha da vizinhança, a quem ela e meu irmão deram carinhosamente o apelido de Muminha, diminutivo de “múmia”, depois que ela realizou a proeza de perder seu trigésimo celular. Muminha não mediu esforços para ajudar a amiga no hospital e, quando minha mãe morreu, chorou copiosamente.

*

Robledo Milani, kítrico de cinema, diz que “O Jardim das Aflições” é uma bosta e será esquecido. Robledo Milani, ao contrário, será imortalizado no panteão das glórias intelectuais brasileiras e lembrado para sempre.

*

Segui a fórmula da Celina Vieira, a quem muito agradeço, e acordei bem melhor, mas a minha voz continua a mesma e os meus cabelos continuam caindo.

Passar Vick Vaporub ou equivalente no pé e dormir com uma meia grossa.

*

Os comentários na página do Robledo Milani cobrem-no de tanta merda que seus conhecidos de muitos anos, ao verem-no em tal estado, dirão:
— Puxa, você não mudou nada.

*

Uma coisa que me agrada muito no Jacob Wassermann é que ele não se inibe de contrastar personagens excepcionalmente bons com outros anormalmente maus. Só os idiotas acreditam em “cinquenta tons de cinza”.

Giuseppe Chiappetta Professor, qual é mesmo o nome do seu filme favorito?

Olavo de Carvalho “Aurora” (Sunrise) de F. W. Murnau.

 

*

Meu desprezo por leitores intoxicados de preconceitos verbais politicamente corretos é tanto, que espero sinceramente que jamais me leiam. Não quero persuadi-los de nada, não quero mudar o maldito curso das suas vidas, não quero que sua inteligência desperte. Quero que se engasguem cada vez mais na sua massa fedorenta de cacoetes paralisantes até que sua linguagem se reduza a um código de grunhidos legalmente autorizados.

*

Duas coisas que torram o meu saco até virar carvão: pais que humilham seus filhos em público e filhos adultos que ainda odeiam os pais que os humilharam em público.

*

Mulher rica que se aproxima de um escritor oferecendo vida mansa, patrocínio e fama é encrenca na certa. Um bom pedaço do romance do Jacob Wassermann, “A Terceira Existência de Joseph Kerkhoven”, é sobre isso, e como é verdadeiro, puta merda! Tive um amigo, gênio irrealizado, que caiu numa armadilha dessas. A mulher construiu para ele um palácio, onde ele se sentia, segundo me confessou, como uma onça no zoológico, e de onde acabou fugindo, mas demasiado tarde. Tive a sorte de namorar uma filha de banqueiro que jamais me ofereceu um tostão, comeu humildemente todos os jantares que lhe paguei e só me retribuiu com ternura, que era tudo o que eu precisava. Só não casei com ela porque fiquei com dó de um ex-marido que, com cara de cachorro magro, sonhava em voltar — e, graças à minha gentil saída do campo, acabou voltando. Espero que tenham sido felizes.

Célio Rodrigues Olavo, esses personagens das antigas, que compõem a sua biografia — que vez ou outra você cita por aqui –, poderiam dar o ar da graça, né!? Será possível que esse pessoal está tão por fora dos acontecimentos assim que desconhece a repercussão nacional da sua pessoa e dos seus ensinamentos? rs

Olavo de Carvalho Célio Rodrigues Quase todas as pessoas que passaram pela minha vida ignoram tudo a meu respeito, exceto o pouquinho que viram por um ângulo bastante limitado. A coisa mais óbvia do mundo é que quem não é capaz de apreender o sentido geral da obra de um escritor não o conhece como pessoa, só como personagem episódico.

*

O ano mais azarado da minha vida –quase quatro décadas atrás — começou quando me convidaram para ver a festa de Iemanjá na praia de Copacabana, e eu, idiota, aceitei. Foi uma uruca do cão.

*

 

Flávio Lindolfo Sobral

Flávio Lindolfo Sobral
Segundo meus cálculos, já são 773 horas, 58 minutos e 28 segundos de aulas do Curso Online de Filosofia, o famoso COF, do Olavo de Carvalho. Estamos na aula de número 412. Oito anos no ar completados em março deste ano de 2017. Se a alergia lhe oferecer uma trégua neste sábado, 30/12, o professor atingirá a marca de mais 775 horas de aulas.
Qual a importância destes números? Simples: quantas horas/aulas os críticos anti-olavo assistiram?
Já escutei de tudo: “é uma seita”, “é nada demais”, “é lixo”, “é enfadonho”, “eu já superei o Olavo”… Pergunte a estas alminhas: quantas horas/aulas do COF você assistiu? Se o indivíduo insistir que não é necessário assistir nenhuma aula para proferir sua crítica, mande-o tomar no cu logo. Não dê oportunidade de diálogo com desonesto. Se você acha que há outra forma de abordagem com gente que toma atitudes desonestas como estas, bem, a vida, a paciência e o tempo perdido são seus.

Insisto: as jóias de uma verdadeira educação superior, o ouro alquimicamente produzido por uma pedagogia que realmente educa, enfim, o essencial do professor Olavo de Carvalho se encontra nas aulas do COF. Tudo o mais são expressões, ora mais encorpadas e substanciosas, ora mais rarefeitas e tênues, da atividade pedagógica-filosófica que ele exerce. Aí se enquadram suas apostilas, hangouts, artigos de jornal, livros, programas de rádio e TV e publicações nas redes sociais. Nada chega perto do que é desenvolvido nas aulas do COF. Nada! Porque é uma oportunidade ímpar de ver em ação um filósofo filosofando e, melhor ainda, ensinando a filosofar a quem desejar seriamente. Filosofia não é um curso acadêmico ou uma atividade profissional de uns fulanos ao longo do tempo: é antes de tudo uma forma de viver a vida.

29.12.2017

O tema dos filmes de “western” não são tiroteios, não são brancos versus índios, não são xerifes e bandidos, não é nem mesmo a fronteira. O tema é sempre um só e o mesmo: a lealdade, a força coesiva sem a qual a sociedade se desmantela. Não por coincidência, é esse também o tema das obras morais de Josiah Royce, o filósofo do Velho Oeste. Acabo de ver “The Ballad of Lefty Brown” e confirmo isso pela enésima vez. É a história de um velho mocorongo que leva um voto de lealdade às suas últimas conseqüências.

*

Depois de respirar por várias semanas a poeira de nove ou dez mil livros que haviam ficado num depósito por um ano e meio, peguei uma alergia que, além de me fazer espirrar, lacrimejar e tossir o tempo todo com uma coceira insuportável na garganta, me deixou afônico como uma tartaruga. Se isso não passar em tempo, amanhã não haverá aula do COF. Voltarei a avisar, ok?

*

Um ano e meio de espera enervante, despesas sem fim, sacanagens de empreiteiros, alergia, um frio do cão e doses mastodônticas de esforço físico em transportes de coisas e em trabalhos de marcenaria — tudo valeu imensamente a pena. Meu escritório novo saiu EXATAMENTE como o planejei, mas, como ainda faltam alguns detalhes, não vou mostrá-lo ainda. Vou lamber a cria em segredo por uns dias antes de exibi-la.

*

Relendo, pela segunda vez, “A Terceira Existência de Joseph Kerkhoven”, de Jacob Wassermann.
O que mais claramente define a personalidade de Joseph Kerkhoven é a consciência de um núcleo vital profundo que as pressões do ambiente, as taras hereditárias e o peso do hábito ameaçam a todo instante enrijecer e tornar quebradiço, e que deve constantemente adaptar-se e renovar-se para permanecer ativo e fiel a si mesmo. Ele observa, consternado, a facilidade com que as almas, levadas pela voragem das forças alienantes, se perdem de si mesmas e desenvolvem toda uma constelação de rituais neuróticos para defender-se de uma angústia que elas mesmas criaram no esforço de evitar o trabalhoso e às vezes humilhante retorno ao seu próprio centro.
Ele aprende a fazer a jornada de volta tantas vezes quanto necessário. Vive, por assim dizer, perto do seu próprio coração, de onde observa as coisas, fatos e pessoas com um realismo e uma compreensão admiráveis. Nisso reside a sua força., mas também a sua limitação permanente: ele não pode negociar nem transigir, tem de permanecer fiel a si mesmo contra todas as circunstâncias, contra todas as adversidades e seduções. É isso o que lhe permite enxergar tão claro na alma alheia ao ponto de perceber o nexo de causa e efeito entre as decisões de ontem e o sofrimento de hoje, entre os compromissos inconscientemente assumidos e as angústias que brotam anos depois como que surgidas do nada. O senso da misteriosa continuidade do destino por entre as falhas de uma atenção volúvel, escandida por mil estímulos fortuitos, é a raiz da sua capacidade de restaurar vidas estilhaçadas e corações retalhados.
Kerkhoven é, sem dúvida, o ”alter ego” do romancista, cuja tarefa não é outra senão a de revelar a unidade dos trajetos humanos por trás das consciências fragmentadas.

*

“Poder pessoal” é aquilo que alguém pode fazer por suas próprias forças, sem nenhum apoio externo. Um homem de verdade jamais fala mais grosso do que o seu poder pessoal.

Amanda Kelly E uma mulher?

Olavo de Carvalho Só heroínas e mártires resistem a falar grosso usando um poder emprestado.

Feliz Ano Novo

Em 2016, os votos de Feliz Ano Novo do filósofo Olavo de Carvalho foram estes:

“Meus votos de Feliz Ano Novo para cada um de vocês são os seguintes: Aconteça o que acontecer, não se deixe desencorajar. Não feche os olhos ante a realidade, por pior que ela seja. A coragem do espírito, o amor incondicional à verdade, é a mãe de todas as virtudes — e não existe amor à verdade quando, por pensar que já a possui, você deixa de buscá-la. Peça a Deus que preserve, acima de tudo, a luz da sua consciência e a sua humildade de reconhecer a verdade quando ela aparece e é diferente do que você esperava. O resto deixe por conta d’Ele. Assim você atravessará o ano vitoriosamente, mesmo que tudo em volta seja derrota e tristeza.”

28.12.2017

“Toda mulher que amamos é uma mãe ressuscitada, uma redentora.”
(Jacob Wassermann)

*

Quanto mais louca e fantasiosa uma idéia, mais seu adepto se sente ofendido e ameaçado quando alguém não acredita nela.

*

Os esquerdistas já chegaram àquele nível de demência em que se sentem agredidos sempre que agridem alguém.

*

A Igreja pós-conciliar é mesmo um desastre, mas nem todo católico pré-conciliar é a alminha cristianíssima que ele deseja parecer. Nunca se pode esquecer que o livro pioneiro contra o Concílio Vaticano II e a missa de Paulo VI foi escrito por um cidadão que era, em segredo, o segundo no comando da tariqa do Frithjof Schuon: “The Destruction of the Christian Tradition”, de Rama P. Coomaraswamy.

*

Histórias que os sábios analistas políticos ignoram. Por que o general de Gaulle, depois de prometer que jamais entregaria a Argélia aos revolucionários islâmicos, fez exatamente isso? Porque recebeu uma iniciação sufi de um dos mais próximos colaboradores de René Guénon, o que significa que se submeteu de corpo e alma à autoridade de um “sheikh”. Depois escreverei mais a respeito.

*

Quem pensa que a invasão islâmica começou com a imigração em massa e o terrorismo não sabe NADA a respeito.

*

Estar na religião certa não me torna nem um pouco melhor do que aqueles que estão na religião errada ou não estão em nenhuma. Apenas me traz algumas obrigações que eles pensam que não têm.

*

Poucos cristãos guardam na memória, ao menos em modo permanente e operacional, o ensinamento de que o diabo é mais inteligente do que eles. A maioria tende a pensar, de maneira temerária, que todos os que se afastam da fé são uns retardados mentais, não pessoas inteligentes que foram derrotadas por alguém mais inteligente.

Eduardo Fauzi Richard-Serquize E o contrário é ainda mais verdade. Todos os ateus crêem que religiosos são pessoas desprovidas de qualquer senso crítico, inteligências primitivas, atuando passivamente como massa de manobra de interesses poderosos, agindo na história. Do alto daquele orgulho que cega, não lhes ocorre jamais que possam eles, os ateus, estar sendo iludidos pelo diabo. Em última análise, é bem capaz que no fim sejamos todos, crentes e descrentes, julgados pela nossa própria soberba, a nossa velha e infeliz “mania de deus”.

*

A disputa de poder no plano espiritual é o problema mais espinhoso da História mundial. Espero que dentro de alguns anos meus alunos estejam prontos para lidar com o assunto, que hoje está nas mãos de toda sorte de palpiteiros, carreiristas e assanhadinhos.

Célio Rodrigues Olavo, o “plano espiritual” ao qual você se refere, é a ambição do poder na hierarquia nas religiões, ou é no seu sentido oculto mesmo?

Olavo de Carvalho Anjos e demônios e seus agentes humanos.
*
Vou lhes dar um conselho que eu mesmo segui desde a juventude e só me fez bem: Se você está assoberbado de problemas, dívidas, doenças, dramas de família, despreze tudo e se concentre ainda mais nos estudos e na oração. Enquanto tudo em volta desaba, você vai ficando dia a dia mais forte. Quem dura mais, vence. É só isso.
*
*
“Quando te louvam por méritos que não tens, logo te acusarão de defeitos que também não tens.”
(Provérbio árabe)
*
Dica do Fernando Medeiros :
*
Quem aí conhece um programa de SPEECH TO TEXT em português que possa me indicar? Não quero coisa online, quero um software que eu possa comprar e instalar no meu computador Mac. Obrigado desde já.

Dominar você pela fome

A mensagem do filósofo aos jovens estudantes, no que diz respeito à dificuldade financeira, é simples, quanto pior ficar a sua condição econômica, mais se apeguem à sua vocação intelectual. Não cedam à pressão de um mundo que quer matar em vocês o espírito à força de atormentá-los com problemas financeiros. O mundo, no sentido bíblico do termo (isto é, a sociedade mundana), só respeita quem o despreza. Na Primeira Guerra Mundial, o físico Werner Heisenberg, então um adolescente, numa cidade reduzida à miséria pelo cerco e pelos bombardeios, se escondia no porão de uma igreja para ler Platão e discutir com seus amigos a metafísica de Malebranche.
Foram os anos decisivos de sua formação: ele poderia tê-los perdido, aguardando melhores dias para estudar. Mas nada, neste mundo, pode vencer a determinação do homem que é fiel à vocação espiritual. Não se intimidem, não desistam. Quanto mais pobres vocês ficarem, mais se dediquem aos estudos. A porcaria reinante não prevalecerá sobre a sinceridade dos seus esforços. Digo isto com a experiência de quem, ao longo de mais de duas décadas de pobreza, com mulher e filhos para sustentar, jamais deixou de estudar um único dia, aproveitando cada momento livre e abdicando de toda sorte de viagens e divertimentos. Nunca esperei que minha situação melhorasse para depois estudar, e garanto: seja teimoso, e um dia o mundo desiste de tentar dominar você pela fome.

Frases de Olavo de Carvalho XI

O pecado confessado se transfigura em consciência, a consciência em humildade, a humildade em amor ao próximo.

*

Todo aquele cuja sanidade depende da confiança na ordem social ficará irremediavelmente louco. Ou você pendura a sua alma em Deus, ou ela cai.

*

A espécie mais torpe de maledicência é dizer que a vítima “precisa de orações”. Todo mundo precisa, mas de orações feitas no segredo da Presença Divina, não anunciadas em público como insinuação de pecados.

*

Dica de vida feliz: só preste atenção aos defeitos das pessoas se elas vierem pedir, rogar, implorar para você ajudar a corrigi-los.

*

A personalidade intelectual só pode ser compreendida desde outra personalidade intelectual: o diálogo com indivíduos desprovidos dela é uma transmissão sem receptor, a ocasião de mal entendidos e sofrimentos sem fim.

*

Os 33 ossos da sua espinha dorsal são os 33 anos da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo.
A consciência de culpa — a cruz — é a espinha dorsal do ser humano. Ninguém fica de pé sem carregá-la.

*

A inveja é uma cobiça derrotada.

*

Nada no mundo é tão patente quanto a afetação de lindas intenções com que a inveja assassina se adorna.

*

Fazer rir é a mais humilde e às vezes a mais necessária manifestação do amor ao próximo.

*

O perdão é a essência da vida humana.

*

A incapacidade de pensar na morte imbeciliza.

*

Mulheres gostam de homens que sejam fortes de caráter e bons de coração. Se você é molenga e mau, tá fodido.

*

Você não pode amar o seu próximo como a si mesmo se trata a si próprio como a um condenado do inferno.
*

Gastamos aquilo que recebemos, mas aquilo que damos nos pertence para sempre.

*

O medo de enxergar o tamanho do mal já é sinal de submissão ao demônio.

*

As famílias sempre foram um foco de rebeldia contra o estado.

*

O homem medíocre só consegue enxergar o mundo sob as categorias da sua profissão.

*

Aquele que não tem amor à verdade não tem amor nenhum a Deus.

*

Aprendemos mais com um erro medonho cometido todo de uma vez do que com uma sucessão anestésica de erros imperceptíveis

*

Burrice não se cura, mas se supera — com humildade, esforço e paciência.

*

Muitas pessoas chamam de “fé” o mero analgésico verbal de uma dúvida temível que não ousam confessar.

*

Uma educação moralista muito pesada durante a infância faz o sujeito desprezar tanto o sexo que acaba por não conseguir distinguir entre uma mulher e uma buceta.

*

Se você é um estudante sério, prepare-se: saber mais é ser compreendido menos.

*

A coragem nasce do amor ao próximo, é só isso. Então, não se preocupe em ser corajoso, pois a coragem é um resultado, não uma causa. A causa é o amor ao próximo ou falta dele.

*

Leia e estude somente aquilo que pareça aproximar você da beatitude eterna. Aquilo que não tem para você o atrativo da felicidade eterna não lhe dará forças para aprender e, na verdade, não há razão alguma para aprender

*

 

25.12.2017

*

Lembrete de Natal 2017

Olavo de Carvalho

De cem a cento e cinquenta mil cristãos continuam sendo assassinados anualmente em países islâmicos e comunistas, e número aproximadamente igual sofre toda sorte de humilhações, boicotes e constrangimentos nas democracias ocidentais. Aí a retórica anticristã da mídia, das universidades e dos organismos internacionais torna-se cada vez mais ostensiva e desinibida, denotando uma intenção clara de passar, em breve, do genocídio moral e cultural ao assassinato em massa.
Ser cristão tornou-se tão perigoso que já não concebo outra saudação de Natal para enviar aos meus amigos e leitores senão a boa e velha advertência de que não nascemos para este mundo, mas para a vida eterna. Foi não apenas para trazer, mas para cumprir esse aviso que Nosso Senhor veio ao mundo e morreu por nós. Seu Nascimento não faria sentido nenhum sem a Sua Morte, e Sua Morte sem a Ressurreição. Também a Ressurreição não faria sentido se não tivesse deixado outro sinal na Terra senão a lembrança na mente de umas poucas testemunhas, dois milênios atrás. Mas as marcas da presença de Jesus no mundo são tantas e tão constantes que a única maneira de ignorá-las é desviar os olhares e tapar os ouvidos. Sempre vejo algum humorismo involuntário quando me falam na “fé em milagres”. Um milagre, por definição, acontece no mundo físico e é percebido com os cinco sentidos, sem nenhum apelo ao auxílio sobrenatural da fé. Afinal, o paralítico andou ou apenas acreditou que andou? O cego enxergou ou apenas pensou, com muita fé, que enxergava? Lázaro ressuscitou ou apenas, no fundo do túmulo, acreditava erroneamente estar vivo?
Também me parece que, se em vez de fazer o Sol dançar diante dos olhos de todos, Nossa Senhora tivesse, num estalar de dedos, instantaneamente, feito apenas oitenta mil pessoas acreditarem nisso sem ver nada, teria sido um milagre mais extraordinário ainda.
Só há um meio de negar os milagres: é negar-se a olhar os fatos, é trocá-los por pensamentos. É trocar, como diria o Bruno Tolentino, o “mundo como rapto” pelo “mundo como idéia”. Infelizmente, noventa por cento dos filósofos não fazem outra coisa.
Tanto quanto os milagres, o mal e horror do mundo nos falam, e o que dizem é a mesma coisa: não somos daqui, somos da eternidade.
Que nenhum de vocês se esqueça disso são os meus mais sinceros votos de Feliz Natal neste ano de 2017.

*

 

26.12.2017

Os códigos “politicamente corretos” só podem ser aceitos por uma população previamante desprovida da percepção das nuances e ambigüidades da linguagem escrita e falada. O analfabetismo funcional endêmico é a condição “sine qua non” da Nova Ordem Mundial.

*

Roxane Carvalho

Meu coração está batendo feliz por tantas mensagens de carinho que recebemos — e ainda continuamos a receber— neste Natal. Estou com dificuldade de responder a todos, pois meu laptop está com defeito e esse tecladinho de celular me toma o dia inteiro para escrever uma frasezinha sequer. Por isso, quero deixar um abraço cheio de Deus a todos vocês, meus queridos! “Abraço cheio de Deus” é uma expressão que roubei da Carla Silveira. A propósito, Sidney Silveira nos presenteou com uma das mensagens natalinas mais lindas que já li. Tenho certeza de que vão gostar.

FELIZ NATAL!

Natal feliz é aquele em que o homem contempla a inocência com vergonha por manter-se — obstinadamente — afastado dela.

Que neste Natal cada um de nós enxergue as próprias sombras e, num arroubo de tristeza sã, saiba da existência de lágrimas que lavam delitos (“lacrymae lavant delictum”), as quais, segundo Santo Tomás de Aquino, podem conduzir o ser humano à bem-aventurança.

Os bem-aventurados que serão consolados porque choram, aos quais se referiu Cristo no Sermão da Montanha, não choram pela circunstância de as coisas lhes saírem mal, mas porque compreendem, compungidos, a urgência de mudar de vida.

*

Cecilia Gouvêa : A turminha adorou todos os seus presentes, mas ISTO, realmente, foi demais. Você é um anjo.

25994696_10155902660222192_3797393085657510076_n.jpg

*

Victor Grinbaum tem razão: George Soros é o vilão ideal, perfeito. É filho do Lex Luthor com a Cruela Cruel. Seu parteiro foi o Dr. Mengele e seus padrinhos Lênin e Krupskaya.

*

O Isaac ganhou tantos presentes, que endoidou. Depois de abrir pacote atrás de pacote, sentou na privada, emburrado, resmungando:
— Quero mais.

*

Quando eu tinha uns oito ou nove anos, vi na TV um debate sobre a proibição de brinquedos em forma de armas. Como proprietário do maior arsenal mirim da vizinhança, fiquei indignado. Felizmente a idéia não pegou, mas a estupidez humana, como se sabe, é imortal. Ela sempre volta, mais presunçosa do que antes.
Por isso mesmo foi uma satisfação ouvir o Jack, ontem, dizer ao contemplar o fuzil de plástico que lhe dei:
— Foi o presente mais legal que já ganhei.
O instinto infantil também é imortal.

*

Tudo quanto é zé-mané tem na cabeça as soluções dos problemas brasileiros. Eu só penso em preparar pessoas para que daqui a vinte ou trinta anos encontrem algumas.

*

O problema de todas as soluções é que quando elas saem do pensamento para a realidade os problemas já são outros.

*

No Brasil um menino não pode ter um revolvinho de plástico, mas pode ter um AR-15 de verdade se prometer matar os inimigos do capomafioso que lhe deu a arma de presente.

*

Grande parte dos católicos “tradicionalistas” que conheço tem como principal devoção religiosa a maledicência.