Sofrimento

Convém ler esta resposta que o prof. Olavo de Carvalho deu a um aluno:

“Prezado amigo. Só devo lhe lembrar a afirmação de Georges Bernanos, “O sofrimento dos homens é a maravilha do universo.” O importante não é aliviar as dores deste ou daquele, mas mostrar-lhes a dignidade do sofrimento. Em épocas anteriores, essa não era uma idéia estranha, era a base mesma da civilização cristã. No instante em que a perdemos de vista, a busca de alívio torna-se uma nova — e irônica — fonte de sofrimentos, somando àqueles que são metafisicamente necessários e justificados uma segunda dose gerada pelo autodesfibramento moral apenas. Aproveite a sugestão da Hélina Ayres e diga aos seus alunos que não lutem contra o sofrimento, mas contra a falta de sentido.”

Anúncios

Caminho da vitória

Nenhum ser humano ou país está mais louco do que aquele que acredita poder resolver todos os seus problemas primeiro, para tornar-se inteligente depois. A inteligência não é o adorno do vitorioso, é o caminho da vitória. Não é a cereja do bolo, é a fórmula do bolo.

26.5.2017

Um ser humano tem de amadurecer muito para entender que existem problemas sem solução.

*

Mas esses problemas são preciosos, do ponto de vista cognitivo: é neles que reside a estrutura mesma da condição humana.

*

Quando jovem, li “A Grande Conspiração”, de Sayers e Kahn (publicado pela editora comunista Brasiliense), que descrevia as operações secretas desenvolvidas pelas potências ocidentais para boicotar a Revolução Russa. Fiquei, naturalmente, impressionado. O principal agente dessas operações era um americano chamado Sidney Reilly. Agora descubro que Reilly trabalhava para um banqueiro russo de nome Jivotovski, o qual, além de ser TIO MATERNO DE LEON TROTSKI, enriqueceu fazendo negócios ilegais com a Alemanha durante a I Guerra para foder com o governo russo e depois financiou a Revolução. Quando um comunista conta uma história, inverta-a em 180 graus e você estará muito próximo da verdade.

*

Por isso o cristianismo ensina que o único remédio é cada um carregar sua cruz.

*

“O sofrimento humano é a maravilha do universo.” (Georges Bernanos)

*

Apegar-se à indefinição de “gênero” não resolve nada: Só transfere o problema para os outros, que nunca saberão com quem estão falando.

*

Porra, será que o único brasileiro que nunca roubou ninguém sou eu? Ou será que eu roubei e não sei?

*

David Janssen e William Holden eram daqueles atores sutilíssimos, que conseguem transmitir uma emoção sem mover um músculo. Ambos morreram jovens, de tanto encher a cara. Acho que essa profissão faz mal.

*

Franz Kafka não conseguiria imaginar uma cena dessas: a mídia chique inteirinha pressionando para que um crime NÃO seja investigado:

http://www.wnd.com/2017/05/cnn-pounces-on-congressman-calling-for-fed-probe-of-seth-rich-murder/

*

Pepsi, astrologia e Newton estão superados. A crítica mais profunda, séria e devastadora que já fizeram à minha obra foi esta: Num post do Facebook errei a extensão da Ponte Rio-Niterói.

*

Os direitos fundamentais do cidadão brasileiro são: crack na veia e piroca no cu.

*

Uma vez um crítico, no Grobo ou na Fôia –, não lembro direito — escreveu que determinado romancista, cujo nome a caridade me impede de mencionar, era “um autor de alcance universal” (sic) porque seus livros eram bem vendidos em todos os mercados editoriais do mundo.
Nesse instante entendi que a literatura brasileira havia acabado.

*

Num é pa mi gambá — mesmo porque o mérito não é meu, é do Edson Camargo –, mas o Mídia Sem Máscara nunca esteve tão bonito.

*

Perguntar não ofende: Por que hoje em dia todo mundo ostenta suas “convicções democráticas” como se fossem a mais alta virtude concebível, se o próprio Nosso Senhor Jesus Cristo jamais foi democrata? Será que os novos modelos universais da virtude são o Marco Antonio Vil e o Arruinaldo Azebunda?

*

Preferimos a democracia pelo mesmo motivo que escolhemos antes um sapato largo do que um sapato apertado. Com a diferença de que a democracia encolhe no caminho.

*

A vergonha e o tormento que sentimos ante os nossos pecados NÃO SÃO o verdadeiro arrependimento. São uma mixórdia de emoções toscas que BLOQUEIAM o arrependimento. O arrependimento verdadeiro é de ordem espiritual, e não há nenhuma maneira de um sujeito se colocar na Presença de Deus levando toda essa carga de sensações psicofísicas confusas e atordoantes. Rezo com insistência pedindo o verdadeiro arrependimento, e creio que o único progresso que fiz nessa direção foi entender que eu não sabia o que era. A melhor maneira de um sujeito não saber algo é imaginar que já sabe, sem nunca sequer ter perguntado a respeito.