4/2/2017

Virou moda:

 http://www.infowars.com/antifa-threatens-young-daughter-of-pro-trump-journalist/
*

Não é prudente um governante tomar medidas ousadas e desafiadoras antes de certificar-se de que possui o controle adequado dos meios de poder disponíveis. Se eu fosse o Donald Trump, não mudaria NADA na economia nem nas leis de imigração, nem aliás em coisa nenhuma antes de “drenar o charco”, removendo as cobras e jacarés mais perigosos. Sem o dinheiro dos Soros, Clintons e similares, a esquerda enraivecida não poderia fazer nada além de roer o pé da mesa.

*

Nunca esquecerei o que aprendi com Hegel. Em toda ação humana, a parte negativa vem primeiro.

*

Se, em vez de analisar a fundo e sem piedade os procedimentos estratégicos e táticos da esquerda dominante, eu tivesse inventado as mais lindas e construtivas propostas conservadoras, estaria falando sozinho até hoje.

*

Julian Marías ensina que a fórmula essencial de toda tese filosófica não é simplesmente “A é B”, mas “A NÃO É C e sim B”. Nunca esqueci.

 *

Isso já estava na Bíblia: não colocar vinho novo em odres velhos.

*

Quebrar as pernas dos Clintons, do George Soros e do Barack Hussein é mais fácil e mais urgente do que tomar os passaportes de não sei quantos terroristas.

*

Espero que o Trump não cometa o mesmo erro do George W. Bush: concentrar as baterias no inimigo externo na esperança de obter contra ele o apoio do inimigo interno.

Geraldo Ribeiro Está faltando este tipo de conselho dentro da Casa Branca.
Olavo de Carvalho Está mesmo. Mas há coisas que a gente só entende quando nasce no Terceiro Mundo.

*

Quando você é acusado de pecados que não cometeu, é uma boa hora para rever os que cometeu. Alguns, mesmo já confessados e perdoados, ficam por longo tempo escondidos em algum canto obscuro da memória, como convites permanentes à vacilação e à fraqueza.

Olavo de Carvalho Humildade perante o maligno é apenas soberba invertida.

*

Moralismo doutrinário leva à loucura. Há conservadores que, vendo o presidente envolvido em tantas brigas ao mesmo tempo, ainda cobram dele alguma medida contra o gayzismo.

*

Já dormi na rua, ao lado de um cão vira-lata. Quando me lembro disso, acho graça. Não há coisa mais grotesca do que um velho chorar quando recorda sua “infância de menino pobre”. Seja “no Nordeste” ou na puta que o pariu.

*

Não creio que seja razoável um ser humano esperar da vida algo mais que o perdão final dos seus pecados. Tudo o mais é luxo.

*

Quando concorri a um emprego no Jornal da Tarde, o melhor da imprensa paulista na época, estava tão na pindaíba que tinha todos os dentes da frente quebrados. Era uma obscenidade ambulante. Felizmente o diretor de redação, Murilo Felisberto, achou que era exotismo de hippie, e me deu o emprego.

*

Nossos pecados vão deixando pelo caminho um rastro de lixo cósmico que nenhum esforço humano poderá jamais limpar. A ânsia de “salvar o planeta” não passa da fantasia projetiva de uma culpa coletiva que se camufla em sujeira material — exatamente como a de Lady Macbeth, que reprime a consciência do seu crime lavando obsessivamente as mãos.

*

Existe algo no meu modo de ser que excita a imaginação odienta de algumas criaturas até levá-las à completa demência. Não sei o que é, mas suspeito que a simplicidade do óbvio ofende brutalmente quem não o percebeu antes.

*

Entrei no jornalismo aos dezessete anos. O salário era bom e o período de trabalho era de cinco horas, dando-me tempo para estudar o quanto quisesse. Decidi que ficaria ali para sempre, sem qualquer outra ambição profissional. Isso fez toda a diferença na minha vida.

*

Algumas mulheres que vêem fotos minhas quando jovem, dizem: “Que gato!” É que eu não estava de boca aberta.

*

Numa escala incomparavelmente menor, é inteiramente compreensível que almas enegrecidas pelo mal procurem se livrar da consciência dos seus crimes mediante a promessa de salvar a nação removendo do universo o Olavo de Carvalho.

*

Cada vez mais confirmo o meu velho diagnóstico: das minhas aulas e escritos, quem é inteligente sai mais inteligente, quem é burro sai louco.

*

O Maestro Chupa Bagos e similares apegam-se desesperadamente à ilusão de tornar-se mais toleráveis aos seus próprios olhos quando o Olavo de Carvalho não existir mais.

*

De todos os crimes e iniqüidades que já me atribuíram, “chefe da maior rede de pedofilia do mundo” é de longe o mais lindo. Coisa de gênio.

*

Se você descobre que não passa de um pau no cu, não fique triste. Pense no que seria ser apenas um cu.

*

Os ETs devem ser as criaturas mais gentis do universo. Há cem anos sobrevoam a Terra e nunca desceram para encher o nosso saco.

*

As Garras da Esfinge – Leituras básicas para o curso
Esoterismo na História e Hoje em Dia.
Faço o download gratuito no link abaixo.
http://www.seminariodefilosofia.org/esoterismo-ebook/

*

John McCain, Paul Ryan e Lindsay Graham na folha de pagamentos do George Soros. Por que não estou surpreso?

*

De novo, o bom e velho teatrinho:

*

Na época em que o Paulo Zamboni era o editor do Mídia Sem Máscara, uns quinze anos atrás, ele pediu ajuda financeira a uma ONG americana chefiada pelo senador John McCain, do qual tudo o que então eu sabia era que tinha sido herói de guerra no Vietnam. Nunca fiquei sabendo se o dinheiro veio ou não veio (era uns dez ou quinze mil dólares, se bem me lembro). Mas, sabendo do personagem o que sei hoje, espero que nunca tenha vindo.

*

Acabo de receber do meu velho amigo Valentino Bergamo Filho, a quem muito agradeço: ele e eu no pátio do Colégio Estadual de São Paulo. Ele era o editor e eu o aspone do jornal mural da escola.

16508107_10154942895492192_9165679434773359144_n

Olavo de Carvalho Valentino Bergamo Filho era um amigo leal e um sujeito talentosíssimo, com um senso de humor inesgotável. Reencontrá-lo aqui no Facebook foi uma alegria ímpar.

*

Mais outra dos velhos tempos. Da esquerda para a direita, Marlene Shiroma, Roberto Roitburd, eu, Nilce Pascarelli, Valentino Bergamo Filho e Sérgio Gavino. A japonesinha casou com um amigo meu da época mas nunca mais tive notícias de nenhum dos dois.

16508071_10154942922427192_6880296906124436923_n

Olavo de Carvalho Agora soube, pelo Valentino Bergamo Filho, que a Marlene morreu há tempos. Que tenha encontrado a paz. A vida dela foi muito dura.

*

Mais uma: Da esquerda para a direita: alguém cujo nome me escapa, Sérgio Mário Nunes de Andrade (cuja irmã era a minha paixão secreta), eu, Valentino e Seiti Nakamura. Os três viraram engenheiros (que sorte, nenhum foi para a Fefelech).

16427703_10154942970112192_671410246255919198_n

Célio Rodrigues Estava chuviscando para vocês estarem envergando o tronco assim? kkkkkkkkk
Olavo de Carvalho Foi só sacanagem com o fotógrafo.
*
Uma breve explicação do meu novo curso, O esoterismo na história e hoje em dia. Saiba mais aqui: www.seminariodefilosofia.org/esoterismo/
*

Isaac: “I am looking for vovô upstéus.”

*

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s