11/1/2017

Após ter sido eleito presidente com uma falsa identidade, já denunciada em 2008 pela jornalista Debbie Schlussel, a PRIMEIRA medida oficial do Obama tão logo tomou posse em janeiro de 2009 for tornar secretos todos os seus documentos…
Se há pessoas pelas quais sinto um desprezo ilimitado, são aqueles republicanos e conservadores que, diante de indícios tão flagrantes de uma conduta criminosa, se recusaram a investigar o suspeito, alegando, com aquele ar de infinita superioridade dos homens que se consideram experientes, que “esse não é o caminho” e que “há maneiras mais inteligentes de combater o Obama”. Tão inteligentes que em 2012 ele se reelegeu COM UM SEGUNDO DOCUMENTO FALSO. E, após ter duplicado a dívida externa do país, aguçado os conflitos raciais ao ponto do derramamento de sangue, financiado generosamente as facções terroristas mais anti-americanas do universo e consolidado a corrupção como sistema de governo, ele ainda tenta, a olhos vistos e com total apoio da grande mídia, um golpe de Estado para impedir a posse do seu sucessor.

*

http://www.dcclothesline.com/2017/01/10/as-americans-freaked-over-russian-fake-news-fbi-quietly-released-new-clinton-investigation-docs/

*

10/1/2017

15977506_10154860323792192_3384291702328470665_n.jpg

Um grande momento do espetacular Enzo Jannacci. Ele está na Prefeitura buscando um atestado de residência e, de repente, “me explodiu por dentro toda a infância”: as correrias, o futebol, o nariz sangrando de uma briga de rua e, por fim, os amigos mortos. Entre o cômico e o lírico, como sempre. Cantado em dialeto milanês, com um ou outro som curiosamente afrancesado:

*

*

Outra maravilha: “A noite em que o meu pai partiu” — o menino vê, da janela, o pai indo para a guerra para nunca mais voltar:

Na canção “La sera que partì mio padre”, o Enzo Jannacci conta uma história tragicômica, como é do feitio dele. O pai era soldado, um dia os superiores disseram a ele que não devia atirar se alguém se aproximasse, só gritar “Alto lá”, porque era apenas um exercício militar. Ele gritou — e levou chumbo. Era o inimigo chegando. Ganhou uma medalha póstuma.

*

A principal característica dos autonomeados “intervencionistas” que atacam a Joice Hasselmann é a total falta de escrúpulos. O lugar desses filhos da puta é na cadeia, junto com o Lula.

*

Li num comentário do Youtube: O Obama é como um mau inquilino que não entrega a casa de volta ao proprietário sem dar uma cagadinha na porta.

Marco Alberto Seifert prof Olavo, este jornal argentino è totalmente pro DEM e anti Trump, mas o titulo me fez pensar ao “legado” do Seu Obama (e quem esta por tras dele) http://www.infobae.com/…/segun-la-inteligencia-de-eeuu…/
Olavo de Carvalho A notícia é falsa. Nunca as perspectivaz de paz mundial foram tão animadoras.
*

Muito bonita a melodia.

Olavo de Carvalho Isso é maravilhoso. Kienzl foi boicotado pelos dodecafonistas, mas foi um grande compositor.

*

Não li muita coisa do Zygmunt Bauman, mas num ponto ele acertou em cheio, ao dizer que o Holocausto não foi nenhuma regressão a tempos bárbaros, e sim um legítimo filho da modernidade. Ninguém gostou. Quem gosta de ver as horríveis conseqüências impremeditadas das suas escolhas?

*

*

Tem uns bostinhas fazendo a biografia da Joice Hasselmann pelo método Veadasco.

*

A paixão da mídia americana pelo Obama começou do nada, antes que ele tivesse feito qualquer coisa de notável ou mesmo de medíocre, e sem que fosse preciso, para louvá-lo até o extremo limite da babação de ovo, saber o que quer que fosse sobre a vida dele. E o quase nada que se sabia, pelos livros dele, acabou se revelando falso.
Julgaram-no e aprovaram-no como os antigos fazendeiros avaliavam e compravam escravos: pela mera aparência.
Nunca, ao longo de toda a história das democracias, um povo votou de maneira tão leviana, tão irresponsável, tão fútil. Com a entrada de Obama no cenário americano, a frescura tornou-se uma força histórica decisiva.
A apoteose da futilidade veio quando a Academia Sueca, atendendo aos gritinhos assanhados da platéia, deu a ele o Prémio Nobel da Paz antes que ele tivesse feito qualquer coisa pela paz ou mesmo contra ela.

*

Quem votou no Lula sabia algo a respeito dele. O Obama, o pessoal só VIU

*

A principal característica dos autonomeados “intervencionistas” que atacam a @joicehasselmann é a total falta de escrúpulos.

O lugar desses filhos da puta é na cadeia, junto com o Lula.

*

Um sujeitinho leu a palavra “cu” num dos meus posts e disse que me faltava vocabulário. Mas mesmo que eu tivesse o vocabulário de um Coelho Neto, de um Camilo Castelo Branco ou de um Euclides da Cunha, jamais chamaria um cu senão de cu. Parafraseando Alice B. Toklas, um cu é um cu é um cu.

*

Mais um Enzo Jannacci para vocês:

*

Nunca, ao longo de toda a história das democracias, um povo votou de maneira tão leviana, tão irresponsável, tão fútil. Com a entrada de Obama no cenário americano, a frescura tornou-se uma força histórica decisiva.

A apoteose da futilidade veio quando a Academia Sueca, atendendo aos gritinhos assanhados da platéia, deu a ele o Prémio Nobel da Paz antes que ele tivesse feito qualquer coisa pela paz ou mesmo contra ela.

*

Dinheiro nenhum deste mundo pode fazer com que dois mais dois dêem cinco, mas, quando um sujeito vem com aquela conversa de “Yes, We Can”, pode levar um tempo enorme até as pessoas perceberem isso.

*

Para quê trazer todos os empregos de volta aos EUA? Os empregos da Hillary, do Obama, da Meryl Streep, do Martin Sheen, do Michael Moore, do Tom Hanks e similares deveriam ser exportados para o México.

*

Brasileiros, fiquem felizes com as suas leis. Nosso Código Penal e nosso Código de Processo Penal são primores de clareza e racionalidade quando comparados com a confusão infernal das leis americanas.

*

Por mais que a grande véia mérdia invente todo tipo de desconversa barulhenta, nunca, nunca, nunca se esqueçam DISTO. É a chave de TUDO:

*

É fantástico os assanhados da tecnologia não perceberem o quanto essa perspectiva é ATERRADORA.

*

*

Puxar saco das “minorias” dá nisso.

http://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/alunos-de-universidade-querem-banir-estudo-de-filosofos-brancos-20754506?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=compartilhar

*

Uai, com tantos agentes envolvidos na operação, porque precisaram de um “ex agente”? Essa história fede.

http://www.wsj.com/articles/spy-agencies-investigating-claims-trump-advisers-worked-with-russian-agents-1484101731http://www.wsj.com/articles/spy-agencies-investigating-claims-trump-advisers-worked-with-russian-agents-1484101731

*

Desde os anos 30, agentes russo-soviéticos interferiram na política americana e, em momentos decisivos, conseguiram moldá-la. Esse é talvez o fato mais amplamente comprovado da história dos EUA (se tiverem dúvidas, leiam o livro da Diana West, “American Betrayal” e o de M. Stanton Evans, ” Stalin’s Secret Agents”). No entanto, quem quer que o mencionasse nos altos círculos era imediatamente rotulado pelos bem-pensantes como teórico da conspiração, fascista, macartista ou simplesmente biruta. De repente, uma simples suspeita sem prova nenhuma bastou para que, sob os aplausos da mídia inteira, o Partido Democrata passasse a denunciar a interferência russa como se fosse a coisa mais óbvia de todos os tempos e como se ele próprio estivesse na posição do acusados insuspeito e não do maior cúmplice que os russos já tiveram nos EUA.

*

Aos vinte e poucos anos, eu me considerava — e era — o maior especialista de São Paulo em beleza negra. Minhas namoradas neguinhas eram tão lindas que a homarada em volta vivia querendo me matar. O problema em Helsinki é a falta de experiência: por lá nunca viram neguinha nenhuma e não sabem distinguir entre beldades e mocréias. A primeira que aparece já fixa o padrão.

*

Foi mais ou menos como no caso Obama: na falta absoluta de candidatos pretos à presidência, pegaram logo o primeiro que apareceu, sem nem saber quem era. Só podia dar merda.

*

Num é pa mi gambá, mas um dia namorei a mulher negra mais linda do universo. Só não casei com ela porque ela tinha um metro e noventa e cinco de altura e na rua todo mundo iria pensar que era a babá me levando para a escolinha.

*

Pensando bem: se um joão-ninguém sem passado, nem currículo, nem documentos pode ser eleito presidente dos EUA só porque é preto, por que uma mocréia não pode ser eleita miss pela mesmíssima razão? E, ainda nesse critério, por que qualquer zé-mané com idéias esquisitas não pode ser um filósofo maior que Platão e Aristóteles?

*

https://www.jihadwatch.org/2017/01/obama-administration-has-given-iran-700-million-each-month-since-nuke-deal-signed-totaling-over-10-billion

*

http://virtualglobetrotting.com/map/basilica-de-guadalupe/

*

O Pablo Ortellado está se fazendo de detentor de “inside informations” do serviço secreto russo, e tem gente que acredita nele. Deixei o seguinte recado na página da Cora Ronai:
— Prezada Cora: O Pablo Ortellado é o sujeito que publicou no site dele — o “Midia Independente”, subsidiado pelo George Soros –um apelo ao meu assassinato, acompanhado de hora e local onde os interessados poderiam me encontrar para esse fim. Quando cheguei lá sem saber de nada, a polícia já havia cercado o prédio. Isso pode lhe dar uma idéia da idoneidade do cidadão.

*

Assim como a carreira inteira do Barack Hussein Obama foi a maior fraude documental de toda a história humana, a campanha anti-Trump é a maior operação de assassinato de reputação que já se viu neste planeta.

*

Quando o criminoso sai limpo porque você não teve a coragem de acusá-lo do delito que cometeu, você o encoraja a acusá-lo de um crime que você não cometeu.

Essa é a história inteira da direita americana nas últimas décadas.

*

O serviço secreto russo tem “informações comprometedoras” sobre o Donald Trump? Talvez. Mas COM CERTEZA as tem sobre o Obama:

*

A coisa toda inventada contra o Trump é mesmo uma fraude:

*

Interferência REAL:

*


Feminismo e gayzismo só servem para uma coisa: apressar o triunfo do Islam que vai escravizar as mulheres e matar os gays. Qualquer simpatia por esses movimentos denota um grau de burrice histórico-política similar ao dos comunistas alemães que, combatendo a socialdemocracia, facilitaram a ascensão do nazismo e depois morreram nos campos de concentração junto com os socialdemocratas.
Olavo de Carvalho