31/12/2016

Vivendo na maior pindaíba durante toda a adolescência, lembro-me de que quando obtive meu primeiro emprego no jornalismo e me disseram o meu salário, quase caí de costas. Era dez vezes maior do que eu esperava. Em volta, meus colegas viviam reclamando dos seus baixos salários, e eu tinha alguma dificuldade para entender de que merda estavam falando.

*

Um brinde com Skol 🍻 Olavo de Carvalho

15781605_1131542256958709_2058492045772251286_n.jpg

Olavo de Carvalho Beatriz Kicis e Zoe Maria Martinez Barba Minhas irmãzinhas queridas.

*

Noventa por cento dos babacas que têm raiva de mim não são movidos (só) por ódios políticos, de esquerda ou de direita, nem muito menos por preconceitos religiosos, embora desejem dar essa impressão para camuflar o motivo verdadeiro. E o motivo verdadeiro é que tudo o que digo os obriga a enxergar um pouquinho das suas próprias almas — alguns pela primeira vez na vida — e, recuando horrorizados ante a porcaria que vêem, jogam a culpa da feiura no carteiro.

*

E O Ocidente dando refúgio aos… muçulmanos!

http://www.portalcatolico.org.br/single-post/2016/12/30/Um-crist%C3%A3o-morto-por-causa-da-f%C3%A9-a-cada-6-minutos-em-2016-afirma-estudo

*

Nós te amamos, Marcela. https://t.co/RDvEHfJIq5

c0-sfuuxaaahnlk

*

Sempre apelo a pais e mães, com o risco de me defrontar com o seu ceticismo e até com uma ponta de escárnio: Custe o que custar, nunca façam a sua criança chorar. Nunca. Nem sob os pretextos mais lindamente moralizantes. Uma criança pequena (digamos, até uns cinco anos) se esquece muito facilmente de um conselho, de uma ordem, de uma repreensão, mas o SENTIMENTO que isso lhe infundiu permanece para sempre, totalmente separado do conteúdo lógico e moral que você pretendia lhe transmitir. Você quis ensinar moral, disciplina, bom comportamento, mas ensinou só tristeza, raiva, ressentimento, depressão. O aprendizado das regras morais só é possível quando a criança alcançou um domínio lingüistico suficiente para poder reagir antes com a inteligência mais fina do que com a emoção imediata. No começo da vida, só o que interessa é transmitir à criança aquele amor incondicional que infundirá nela, justamente, a segurança emocional que a tornará capaz, mais tarde, de introjetar regras de comportamento sem excessivo dispêndio de energia emocional. Isso deveria ser óbvio à primeira vista, mas quantos pais e mães não vêm, em resposta, brandir na minha cara um exemplar da Bíblia e falar das virtudes das reprimendas e castigos, sem que nunca lhes ocorra perguntar de que idade são os filhos e filhas que a Bíblia manda reprimir e castigar…

*

Não deixem de assistir ATÉ O FIM

*

Vivendo na maior pindaíba durante toda a adolescência, lembro-me de que quando obtive meu primeiro emprego no jornalismo e me disseram o meu salário, quase caí de costas. Era dez vezes maior do que eu esperava. Em volta, meus colegas viviam reclamando dos seus baixos salários, e eu tinha alguma dificuldade para entender de que merda estavam falando.

Rodrigo Jungmann O seu irmão é um intelectual também, Prof. Olavo?
Olavo de Carvalho Rodrigo Jungmann É um gênio matemático, no meu entender. Tenho muito orgulho dele, mas é um homem triste, como meu pai também foi.

*

Até hoje não sei quem ali era mais filho da puta: meus patrões ou meus colegas. Em todo caso, não me revoltava com ninguém. Achava tudo uma tragicomédia.

*

Quando depois, já adolescente ou quase, me defrontei com a crueza e brutalidade dos adultos, eu já não precisava muito deles, emocionalmente, e as tristezas que me deram nunca se consolidaram propriamente em decepções. Toda a conclusão que tirei delas foi que precisava cuidar da minha própria vida e não esperar nada de ninguém. Virei dono do meu nariz já por volta dos doze anos de idade. Com os adultos, eu me fazia de bonzinho mas seguia só a minha própria opinião em tudo. Só mais tarde aprendi que também não deveria desprezar ninguém por isso, mas esta já é uma outra história.

*

É bom contar a nossa vida, quando dela tiramos algumas conclusões úteis, para nós e para os outros.

Flávio Lindolfo Sobral Falando de lições e relatos biográficos, o “Diário do Guru de Varginha” possui alguma previsão, professor?
Olavo de Carvalho Está quase pronto.’

*

Quando percebi que quase todos os meus professores eram ignorantes (admiro as exceções até hoje), fiz um esforço dos diabos para fingir que os respeitava. A independência me preservou da rebeldia. Só adquiri algum espírito de revolta mais tarde, entre os comunistas, mas no fundo era tudo fingido. Eu não estava revoltado com porra nenhuma.

*

Ali obtive minha primeira lição de sacanagem. Ensinaram-me que superfaturar despesas de viagem era uma obrigação moral, que abster-me de fazê-lo seria uma traição à classe. Acho que até hoje as coisas são assim no jornalismo nacional.

*

Até hoje não sei quem ali era mais filho da puta: meus patrões ou meus colegas. Em todo caso, não me revoltava com ninguém. Achava tudo uma tragicomédia.

*

A “Ideologia de classe” não é inventada pela classe que deveria professá-la, mas por intelectuais interessados em que ela a professe. Um sociólogo muito melhor que Marx foi Vilfredo Pareto, segundo o qual as classes dominantes têm uma tendência fortíssima a esposar idéias que levam à sua destruição.

*

…a manteiga, por favor!

https://www.facebook.com/amir.kanitz?pnref=story

*

Prof. Olavo de Carvalho, como interpreta as afirmações de Nossa Senhora de Fátima sobre as consequências dos pecados da carne?

Se, por um lado, os pecados da carne parecem empalidecer se contrapostos a atos enormemente mais graves, não parece menos verdadeiro que Nossa Senhora foi bastante clara e contundente ao apresentá-los não apenas como muito graves, mas como uma verdadeira rede de arrasto a trazer os pecadores para o inferno.

Outra coisa que não entendo bem é a seguinte. As jaculatórias docemente pedem a salvação de TODAS as almas. Isso se refere à salvação dos ainda vivos apenas ou aponta também para uma “saída” do inferno dos já mortos e condenados?

 

Olavo de Carvalho Rodrigo Jungmann Pense bem. Há mais adúlteros, masturbadores e pederastas do que serial killers e genocidas. É só por isso que o inferno está mais cheio dos primeiros que dos segundos. Não tem nada a ver com escala de gravidade. Tendemos a imaginar que sim porque, espiritualmente covardes, só conseguimos conceber o mal naquela escala medíocre que é a dos nossos próprios pecados usuais, e fechamos os olhos diante dos grandes horrores, que são justamente aqueles para os quais Nossa Senhora de Fátima chamou a nossa atenção.
Olavo de Carvalho O que Nossa Senhora está dizendo é apenas que você não precisa ser um Stalin ou um Hitler para ir ao inferno.
*
Esse é QUASE tão louco quanto o Obama:
*
Se você não deu a seus filhos, ou a qualquer pessoa querida, o amor que deveria ter dado, não perca seu tempo pedindo desculpas. O arrependimento verdadeiro não tem nada a ver com essas cenas melosas ou deprimentes. Simplesmente faça agora, em dose tripla, o que deveria ter feito antes. E reze o terço todos os dias, confiante em que Deus já o perdoou desde o instante em que você passou a dar o amor que não dava antes.
*
Se você é desses que vêm me dizer que nada podem aprender comigo porque seu único mestre é Jesus Cristo, devo acreditar nisso agora mesmo ou esperar que Jesus Cristo o confirme?
*
Você está “seguindo Jesus Cristo”? Ótimo. Eu não. Só faço isso muito de vez em quando. No resto do tempo, faço merda da minha própria invenção. Tem certeza de que você também não é assim?
*
Tenho horror de ensinar qualquer coisa que eu mesmo não seja capaz de fazer. Já me sinto palhaço o suficiente sem isso.
*
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s