24/12/2016

Alguns podem achar que o Werner Nabiça Coelho é um chato, porque publica posts demais. Mas eu acho que ele é um sujeito admirável, por ser, entre os meus alunos, o que MAIS estuda os livros que recomendo. Feliz Natal, Werner.

*

Verdade

http://www.ibtimes.co.uk/assange-aftermath-us-elections-clinton-tried-destroy-us-was-herself-destroyed-1597992

*

Lendo as declarações do sr. Bergoglio sobre o Natal, não pude evitar a comparação: Eu escrevia coisas desse tipo aos quatorze anos.

*

Bergoglio é o rei da banalidade.

*

*

Herivelton Moreira da Costa compartilhou a foto de Lei Islâmica em Ação.

Veja Gilberto Costa não há mais o que duvidar. Foi Olavo de Carvalho que nos alertou sobre isso. E o Alberto Moreira Costa ainda acredita que são os judeus que dominam o mundo com o seu dinheiro. Coisa que Hitler espalhou pelo planeta.

15673053_1678325652193793_3079888408487386702_n

Lei Islâmica em Ação

Grã-Bretanha: Príncipe Charles exorta os britânicos a pensarem em Maomé neste Natal
Ele afirmou em sua mensagem de Natal: “Normalmente, no Natal, pensamos no nascimento de nosso Senhor Jesus Cristo. Pergunto-me, porém, se este ano podemos lembrar como a história da natividade se desenrola, com a fuga da santa família para escapar da perseguição violenta. E podemos também lembrar que quando o profeta Maomé migrou de Meca para Medina, ele estava buscando a liberdade para si e seus seguidores para adorar.”

Na verdade, ao se mudar para Medina, Maomé tornou-se um Senhor da Guerra e criou o conceito da Jihad. O sucesso de Maomé veio devido a sua ação política e militar, e não religiosa.

Mas a moda dos poderosos é se fingirem de “bomzinhos” e “inclusivos.” Mesmo se agindo deste modo eles estejam sabotando a sua cultura e civilização

http://www.breitbart.com/…/britains-heir-throne-speaks-agg…/

*

 

Atenção, Herivelton Moreira da Costa:
O caso do Principe Charles ilustra o “modus operandi” da ocupação islâmica: muito, muito antes de chegar o primeiro “imigrante” ou o primeiro agitador jihadista, inumeráveis “corações e mentes” já foram conquistados nos postos mais altos da elite intelectual, política e financeira pela ação discreta, sutil e aparentemente inofensiva das tariqas. Os analistas universitários e de mídia não podem apreender esse fenômeno porque não têm, nem de longe, cabeça para entender o esoterismo islâmico: só enxergam as ações políticas mais grosseiras ou as bombas que explodem. Muitos, quando adquirem suas primeiras e vagas noções a respeito, chegam a imaginar até que o “sufismo” seja antagônico ao “islamismo radical” (uso aqui os termos deles) e por isso uma alternativa pacífica ao terrorismo.
Digo mais: a ajuda que hoje a elite “progressista” ocidental presta ao jihadismo cultural, que parece tão estranha e inverossímil aos comentaristas usuais que estes preferem nem mesmo enxergá-la, não é novidade nenhuma para quem conhece a história do esoterismo: é uma aliança anticristã velha de séculos ou de milênios.

Marco Borgerth Olavo, sua elegante hipotese de que haja uma estratégia e ação articuladas entre sheiks como S. Hussein, S. Abu Bakr e tantos outros – que agora o senhor estende a séculos e milênios de ação de tariqas – com o terrorismo islâmico carece de melhores exemplos e embasamento. Não é porque Schuon disse que converteria a europa que isso se torna auto-evidente. O fato de o melhor exemplo citado ser o principe Charles – personagem totalmente irrelevante na condução dos assuntos do Reino Unido e motivo de chacota entre os ingleses – somente demonstra esta necessidade de maior embasamento na tese.
 
Olavo de Carvalho Marco Borgerth Não é tese nenhuma. É fato puro e simples, Qualquer um que não viu nada dos fatos pode fazer perguntas cépticas. É uma das principais ocupações dos brasileiros. Mas você quer mesmo que eu dê todos os nomes de figurões ocidentais metidos nas tariqas? Sinto muito, mas não posso. Será a minha palavra contra a deles, e não tenho dinheiro para pagar tantos advogados… By the way, a referência a “séculos” deveria levar você a estudar a história do esoterismo em vez de sair espalhando dúvidas pueris só para parecer esperto. Se quer uma sugestão, comece pelos quatro livros do Etienne Couvert a respeito.
Marco Borgerth Ademais, como o senhor se sentiria se seu amigo Swami Satyananda chamasse a ação dos missionários católicos e protestantes na India – entre eles São Francisco Xavier e Madre Tereza – de uma “aliança anti-hindu”? Não lhe soaria meio deslocado e fora de proporções?
Olavo de Carvalho Há séculos existe uma divisão de trabalho: as tropas “exotéricas” combatem os cristãos no campo de batalha, a elite “esotérica” tenta parasitar o cristianismo e usurpar sua autoriade espiritual, no mais das vezes a pretexto de “salvá-lo”. Ibn Arabi é um dos exemplos mais claros.
Marco Borgerth Também estou em posição ora dizer: “meninos eu vi” um S Hussein agoniado com a ação de terroristas, investindo horas e horas escrevendo livros e dando palestras, INCLUSIVE PARA OS MEMBROS DA PRÓPRIA TARIQA, tentando demonstrar, certo ou errado, que o terrorismo islâmico é um apêndice irrelevante, mas muito barulhento, da história islâmica. Ele não sente raiva de ninguém como sente dos Wahabistas.
Olavo de Carvalho Irã e Arábia Saudita competem como leões pela liderança do islamismo mundial. O Nasr é apenas mais um iraniano.

*

Já vi isso acontecer com muitas pessoas, mas a gente só acredita mesmo é quando acontece com a gente: Quando você fica velho, você encolhe. Acho que é economia de espaço e de esforço.

Olavo de Carvalho Já perdi um centímetro de estatura, o que pode ser bom para a minha reputação: deixei de ser um 171, agora sou um inofensivo 170.

Olavo de Carvalho É, mas terei de passar pelo 169, e o que é que vão dizer de mim?

*

Foi o Martin Lings quem meteu essas idéias na cabeça do Príncipe Charles. Vi como isso começou , mais de trinta anos atrás. Meninos, eu vi.

*

Um só sheikh sufi faz mais estrago na civilização do que milhões de jihadistas com bombas escondidas no turbante.

*

Quando vejo todas as coisas que deram errado para mim desde a mais remota infância, não posso evitar a conclusão: quanto mais a gente sifu, mais se torna incapaz de ser infeliz. A condição número um da infelicidade é você se foder só um pouquinho.

*

Vivendo e aprendendo: o Wyatt Earp, aos vinte anos, era a cara do meu sobrinho Rodrigo.

*

Vivendo e aprendendo: quem pagava ao Wyatt Earp para pegar os bandidos era o banco onde hoje eu guardo o meu dinheirinho. Estou financiando retroativamente o tiroteio no OK Corral.

*

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s